OPERAÇÃO

Suspeitos de participar de quadrilha que invadia casas fingindo ser da Polícia são alvos de operação em Olinda e Recife


A Polícia Civil desarticulou uma associação criminosa suspeita de envolvimentos em roubos na Região Metropolitana e no Agreste de Pernambuco. A quadrilha fazia um levantamento prévio dos bens das vítimas, antes de invadir as casas

Suzyanne Freitas
Suzyanne Freitas
Publicado em 20/05/2021 às 9:04
Divulgação/Polícia Civil
FOTO: Divulgação/Polícia Civil
Leitura:

A Polícia Civil desarticulou, na manhã desta quinta-feira (20), uma operação denominada "Impostura", no Recife e em Olinda, após dois meses de investigação. Segundo a Polícia Civil, os alvos são suspeitos de participarem de uma quadrilha que invadia residências se passando por policiais.

O grupo atuava em em cidades da Região Metropolitana do Recife, Mata Sul, no Agreste do Estado. Três homens foram presos e levados para a sede do Depatri, em Afogados. Os policiais também cumpriram 3 mandados de busca e apreensão.

Segundo o delegado Diego Acioli, responsável pela investigação, há registros de atuação do grupo em Moreno, Cortês, Escada e Bonito. Ainda de acordo com o delegado, o grupo usava fardas e distintivos, para se passar por policiais civis. Eles invadiam as casas, rendiam os moradores e anunciavam o assalto.

As investigações apontam também para o uso de muita violência, ameaças e tentativas de extorsão. O delegado disse que a quadrilha fazia um levantamento prévio dos bens das vítimas, antes de invadir as casas. Outras quatro pessoas do grupo já tinham sido presas, antes da operação.

>> Advogado é preso durante operação da Polícia Federal no Grande Recife

Mais detalhes

Na execução, estão sendo empregados 40 (quarenta) Policiais Civis, entre Delegados, Agentes e Escrivães. As investigações foram assessoradas pela Diretoria de Inteligência da Polícia Civil de Pernambuco – DINTEL. Os detalhes da referida operação serão divulgados pela Assessoria de Comunicação da Polícia Civil, em momento oportuno.

>> Operação da Polícia Civil mira quadrilha suspeita de sequestro, tortura e outros crimes em Pernambuco e São Paulo