TRAGÉDIA

'Só Deus sabe como estou', diz dono da espingarda que criança atirou acidentalmente e matou primo de 1 ano no Recife

O dono da arma é parente da criança de 1 ano. Ele afirmou que comprou a espingarda para caçar na área onde mora

Suzyanne Freitas
Suzyanne Freitas
Publicado em 14/09/2021 às 18:00 | Atualizado em 24/04/2022 às 20:13
Reprodução/TV Jornal
FOTO: Reprodução/TV Jornal
Leitura:

Sem se identificar, o dono da espingarda, que é tio da criança de 1 ano e 6 meses, que morreu após levar um tiro acidental do primo, de 11 anos, em Dois Irmãos, na Zona Norte do Recife, afirmou que comprou a arma para caçar onde mora.

Em entrevista concedida à reportagem da TV Jornal, ele contou que está completamente abalado pela tragédia que aconteceu.

"Aqui atrás tem um bosque, aí fica passarinho, esses negócios. Aí eu ficava caçando. Uma fatalidade que eu sinto muito. A dor da mãe e do pai, do mesmo jeito que eles estão sentindo, eu também estou. Só Deus é quem sabe como estou aqui", relatou.

Confira reportagem:

A arma foi apreendida e encaminhada ao Instituto de Criminalística (IC), onde deve passar por perícia.

Criança que atirou se encontra abalada

A criança, de 11 anos, que efetuou o disparo acidentalmente no primo de 1 ano e 6 meses em Dois Irmãos, na Zona Norte do Recife, está completamente abalada, de acordo com familiares.

O delegado do Departamento de Homicídios e de Proteção à Pessoa (DHPP) instaurou um inquérito por portaria. Segundo o delegado, por se tratar de uma criança, de 11 anos, é preciso fazer uma escuta especializada, com policiais e psicólogos, por isso essa criança ainda não foi apreendida.

Duas versões

Há duas versões para a história, uma de que o disparo foi acidental, e outra de que o primo chegou a apontar a arma e fazer o disparo, mas sem saber que estava carregada.

O crime

Uma criança, de 1 ano e 6 meses, morreu após levar um tiro acidental de espingarda em Dois Irmãos, na Zona Norte do Recife. A arma teria sido disparada pelo primo do menino.

Há duas versões para a história, uma de que o disparo foi acidental, e outra de que o primo chegou a apontar a arma e fazer o disparo, mas sem saber que estava carregada.

O disparo acidental atingiu o coração do bebê de 1 ano e 6 meses. Ele foi socorrido pela família. A mãe chegou a colocar gelo no local onde o tiro atingiu.

A criança foi levada para a Unidade de Pronto Atendimento (UPA) da Caxangá, e, em seguida, transferida para o Hospital da Restauração (HR). Ao chegar na unidade, ele passou por cirurgia, mas não resistiu. O corpo da criança está no necrotério do HR.

+VÍDEOS