Novo protocolo para uso de cloroquina divide opiniões; entenda


O Ministério da Saúde divulgou o novo protocolo para o uso da cloroquina e hidroxocloroquina em pacientes infectados com o novo coronavírus (covid-19). A decisão, no entanto, divide opiniões entre os especialistas. Segundo o novo protocolo, o uso da hidroxicloroquina pode ser feito por pacientes com sintomas leves da doença. Ele foi assinado pelo ministro interino da saúde, o general Eduardo Pazuello. Antes, o Ministério da Saúde recomendava o remédio apenas para pacientes com a covid-19, em estado mais grave. A Organização Mundial da Saúde (OMS) afirma que continua fazendo testes, mas precisa de tempo para entender os reais efeitos do remédio no organismo de pacientes com a covid-19. O engenheiro Raul de Carvalho Costa Jr. utilizou a medicação, quando estava internado em estado grave com a doença causada pelo novo coronavírus. Depois de apresentar tosse e febre persistentes, ele sofreu um desmaio e foi socorrido para um hospital privado do Recife. O engenheiro tem 54 anos e nenhuma doença anterior. Estudos Entidades médicas se manifestaram sobre o assunto, baseadas em estudos científicos internacionais. A Associação de Medicina Intensiva Brasileira, a Sociedade Brasileira de Infectologia e a Sociedade Brasileira de Pneumologia publicaram um documento com diretrizes para o uso de medicamentos em pacientes com a covid-19. Segundo o pneumologista Frederico Ramos, as entidades sugerem que os médicos não utilizem a cloroquina no tratamento da doença. Uso inadequado Em Pernambuco, o secretário estadual de Saúde, André Longo, se posicionou sobre o assunto. "Muito me preocupa a utilização dessa medicação de forma indiscriminada, sem que aja uma avaliação mínima do ponto de vista cardiológico, pois sabe-se que em alguns casos, em especial em alguns pacientes que têm alteração no eletrocardiograma poderá haver um maior risco de morte súbita", afirmou o secretário. O Conselho Regional de Medicina e o Ministério Público foram acionados para apurar uma denúncia sobre o uso inadequado do medicamento.

PALAVRA CHAVE