"Ele queria recomeçar. Como ela não aceitou, ele matou minha filha", diz mãe de dentista morta


Familiares, parentes e amigos prestaram, nesta quarta-feira (24), as últimas homenagens a Emelly Nayane da Silva Ribeiro, que morreu na última segunda-feira (22). O corpo dela foi velado em uma funerária particular no centro de Abreu e Lima, no Grande Recife. Durante a manhã, o cortejo saiu da funerária e seguiu para um cemitério localizado em Igarassu, onde ela foi enterrada. Segundo o laudo emitido pelo Instituto de Medicina Legal (IML), a vítima foi morta por asfixia direta por esganadura. A família da dentista acredita que o ex-marido de Emelly teria cometido o crime. Ela era filha única e deixou um filho de 2 anos de idade. Dentista recém-formada, ela nem chegou a exercer a profissão tão sonhada. "Minha filha era linda. Ele interrompeu. Saiu o CRO dela, ela queria estudar. Queria trabalhar e criar o filho dela, mas ele não aceitava a separação. Ele queria recomeçar de todo jeito. Como ela não aceitou, ele matou minha filha. Eu quero justiça", disse Josymeri Bento, mãe de Emilly, em entrevista à reportagem do Por Dentro com Cardinot, exibido hoje (24).

PALAVRA CHAVE