Caso menino Miguel: um ano da queda que revelou o pior do Brasil


“O Brasil no seu pior está retratado nesse episódio. É uma coisa que, se alguém colocar em um roteiro, alguém vai falar: ‘Ah não, mas tá muito exagerado’”. O relato da cantora e compositora Adriana Calcanhotto se refere à tarde da terça-feira, 02 de junho de 2020, quando o Brasil se deparou, de forma trágica, com algumas das suas maiores mazelas: o racismo estrutural, a corrupção e a desigualdade. Foi por volta das 13h que o menino Miguel Otávio Santana da Silva, 05 anos, caiu do 9º andar de um prédio de luxo no Centro do Recife, no condomínio conhecido como Torres Gêmeas, localizado no bairro de São José.

PALAVRA CHAVE