ATO NO HMR

Artistas se reúnem para chamar atenção sobre violência contra a mulher

Iniciativa foi da cantora Nena Queiroga, que contou com a presença de outras artistas, como Michelle Melo e Nádia Maia

Artistas se reúnem para chamar atenção sobre violência contra a mulher

Na ocasião, as artistas ressaltaram a importância do atendimento às vítimas dos diversos tipos de violência - Foto: Reprodução/TV Jornal

Um grupo de artistas pernambucanas se reuniu para chamar a atenção para os casos de violência contra a mulher. Elas visitaram o Hospital da Mulher, no bairro do Curado, na Zona Oeste do Recife. 

>> Feminicídio: mulher é morta com quatro facadas e companheiro é suspeito

>> Mulher encontrada morta com mais de 55 facadas é enterrada no Recife

>> Mulher morre com 70% do corpo queimado no HR e marido é suspeito do crime

>> Mulher que estava em coma após sofrer estupro no Recife morre em hospital

As representantes de diversos gêneros musicais estiveram juntas na ação, que foi uma iniciativa da cantora Nena Queiroga. Entre elas estavam Michelle Melo, Nádia Maia, Bia Villa-Chan, além do grupo 'Você e Eu no Frevo'. Na ocasião, as artistas ressaltaram a importância do atendimento às vítimas dos diversos tipos de violência.

Centro Sony Santos

Dentro do Hospital da Mulher, funciona o Centro Sony Santos, um espaço exclusivo para o atendimento das vítimas de violência, em todo o estado de Pernambuco. Segundo a diretora da unidade, Isabel Coutinho, no período carnavalesco, o serviço vai ser estendido a mulheres de fora do Estado que sofrerem violência, durante os dias de folia.

O atendimento no centro funciona de domingo a domingo, e o serviço é 24h. Para quem quiser mais informações, o telefone do Hospital da Mulher é (81) 2011-0118.

#UmaPorUma

A violência contra a mulher é constante e frequentemente acaba em tragédia.  Em 2018, o especial Uma por Uma mapeou  onde as mataram, as motivações do crime, acompanharam a investigação e cobraram a punição dos culpados. Um banco de dados virtual, com os perfis de vítimas e agressores, além dos trágicos relatos que extrapolam a fotografia da cena do crime. Confira o especial Uma por Uma.

COMENTÁRIOS

Os comentários abaixo são de responsabilidade dos respectivos perfis do facebook.