REGRAS

Auxílio emergencial: veja quem recebe 9 parcelas e quantas você vai receber

O auxílio emergencial foi prorrogado, mas cada beneficiário vai receber uma quantidade diferente de parcelas, dependendo de sua situação

Auxílio emergencial: veja quem recebe 9 parcelas e quantas você vai receber

As parcelas são pagas de acordo com calendários baseados nos meses de aniversário - Foto: Leonardo Sá - Agência Senado

Governo Federal

O auxílio emergencial extensão, de R$ 300, já está sendo pago aos beneficiários que receberam as 5 parcelas do auxílio emergencial de R$ 600. As parcelas da extensão têm o valor de R$ 300 ou R$ 600, para os casos de mães que são chefes de família e recebem o auxílio emergencial

 

Os primeiros a ter o dinheiro da extensão creditado em poupança social digital foram os beneficiários do Bolsa Família. Os que receberam a primeira parcela do auxílio emergencial em abril também começaram a ter acesso ao dinheiro. 

O crédito é feito de acordo com o mês de aniversário e finaliza no dia 1° de novembro, para os nascidos em dezembro. O saque em dinheiro será liberado a partir do dia 7 de novembro.

>> Confira os calendários do auxílio emergencial extensão (de R$ 300) e do auxílio emergencial de R$ 600

 

>> Saiba qual é o seu prazo de saque do auxílio emergencial

>> Auxílio emergencial de R$ 300 começa a ser pago quando a pessoa receber todas as parcelas do benefício original

>> Calendário do 'novo' Auxílio Emergencial de R$ 300 é divulgado e começa nesta quarta (30)

>> Auxílio emergencial: veja datas divulgadas de pagamentos dos R$ 300

>> Auxílio emergencial é prorrogado; confira até quando e novo valor

>> Entenda os calendários do auxílio emergencial divulgados até agora

 

Início do pagamento da extensão

Criado em abril deste ano, o auxílio emergencial previa o pagamento de três parcelas de R$ 600 ou R$ 1.200 (para mães provedoras de família). Com o agravamento da crise, por conta da Covid-19, foi ampliado para mais duas parcelas com os mesmos valores. Em setembro, o Governo Federal estendeu novamente, dessa vez por até quatro parcelas, ou seja, até dezembro, que é o chamado de Auxílio Emergencial Residual. Nesse caso, os valores são de R$ 300 e R$ 600.

Os beneficiários só começam a receber as parcelas de extensão após finalizado o pagamento das cinco parcelas do auxílio emergencial. Por isso, os primeiros a receber são os que tiveram a primeira paga em abril e já completaram esse ciclo.

“A conta é simples, são cinco parcelas do auxílio emergencial. A partir do momento em que se recebe a quinta parcela, a próxima parcela será o auxílio extensão”, explicou o presidente da Caixa, Pedro Guimarães.

Quem recebeu a primeira parcela a partir de maio terá direito a três parcelas do auxílio emergencial extensão para que o recebimento do benefício encerre no mês de dezembro. E, assim sucessivamente, de acordo com a data em que foi paga a primeira parcela. Dessa forma, o beneficiário pode receber até nove parcelas, mas só recebe até dezembro.

“No caso do Bolsa Família, todos recebem nove parcelas, porque nesse caso tivemos um calendário à parte”, detalhou Pedro Guimarães.

Quem tem direito às novas parcelas não precisará requerer o pagamento. Não será possível se inscrever para receber o benefício.

 

>> Após nova atualização, entenda os calendários de todas as parcelas do auxílio emergencial

>> Auxílio emergencial: Governo define regras para novas parcelas; veja quem não pode receber

>> Golpe rouba seus dados do FGTS, auxílio emergencial, Internet Banking e caixa eletrônico; saiba como evitar

 

Saques

Inicialmente, o dinheiro fica disponível na poupança social digital em que é possível fazer pagamentos, transferências e transações com o uso do cartão virtual de débito. Em seguida, é liberado para saque. Os saques da primeira parcela da extensão do auxílio começam em 7 de novembro para os nascidos em janeiro e fevereiro e finalizam em 5 de dezembro para os nascidos em novembro e dezembro.

Beneficiários do Bolsa Família

Quem recebe o Bolsa Família segue um calendário diferenciado. Para esse grupo, a primeira parcela da extensão do auxílio emergencial começou a ser paga no dia 17 de setembro e encerrou na quarta-feira (30). O programa tem 14,2 milhões de famílias.

 

>> Veja respostas para dúvidas sobre as mudanças no auxílio emergencial

>> Mudanças no auxílio emergencial afetam quem começou a receber depois

>> Qual será o valor para quem recebia R$ 1.200, após mudanças no auxílio emergencial?

>> Renovação automática? Quem mantém ou perde o direito? Pode recorrer? Advogado explica novas regras do auxílio emergencial

>> Veja respostas para principais dúvidas sobre novo auxílio emergencial 

 

 

Auxílio Emergencial Residual

A concessão de novas parcelas até o mês de dezembro foi determinada em Medida Provisória publicada no Diário Oficial da União, no dia 3 de setembro, para continuar atendendo a população mais vulnerável que enfrenta dificuldades econômicas em razão dos efeitos causados pelo distanciamento social provocado pela Covid-19.

A MP detalha quem são as pessoas que têm direito a receber a extensão do benefício. Basicamente, é preciso observar se o beneficiário das parcelas anteriores mudou de situação, ou seja, se conseguiu um emprego formal, ou se passou, por exemplo, a receber seguro-desemprego.

Pagamento mulher provedora de família

O recebimento do auxílio emergencial residual está limitado a duas cotas por família. A mulher provedora receberá duas cotas do auxílio emergencial residual, portanto, R$ 600. Dessa forma, nenhum outro integrante da família terá acesso ao benefício.

Não vai receber as novas parcelas:

  • Quem conseguiu um emprego formal depois do recebimento das cinco parcelas anteriores do Auxílio Emergencial;
  • Quem recebeu benefício previdenciário ou assistencial; seguro-desemprego ou algum programa de transferência de renda federal, com exceção do Programa Bolsa Família, depois do recebimento do Auxílio;
  • Se tem renda mensal per capita acima de meio salário mínimo e renda familiar mensal total acima de três salários mínimos;
  • Se mora no exterior;
  • O Governo Federal também vai conferir os rendimentos dos beneficiários e excluir do Auxílio Emergencial quem recebeu, em 2019, rendimentos tributáveis acima de R$ 28.559,70;
  • Também não terá direito de receber as quatro novas parcelas quem, em 31 de dezembro de 2019, tinha posse ou a propriedade de bens ou direitos no valor total superior a R$ 300 mil;
  • Quem, em 2019, recebeu rendimentos isentos não tributáveis ou tributados exclusivamente na fonte acima de R$ 40 mil;
  • E menores de 18 anos, exceto se for mãe adolescente;
  • Também fica excluído do novo benefício quem tenha filho matriculado em escola superior ou de ensino técnico;
  • E quem estiver preso em regime fechado.

COMENTÁRIOS

Os comentários abaixo são de responsabilidade dos respectivos perfis do facebook.