POLêMICA

''No Brasil, não existe racismo'', diz Hamilton Mourão sobre morte de homem negro no Carrefour

João Alberto Silveira Freitas morreu após ser espancado em supermercado, e a declaração de Hamilton Mourão gerou revolta nas redes sociais

''No Brasil, não existe racismo'', diz Hamilton Mourão sobre morte de homem negro no Carrefour

O -vice-presidente da República, Hamilton Mourão, afirmou que não existe racismo no Brasil - Foto: Valter Campanato/Agência Brasil

Ao ser perguntado sobre a morte de um homem negro em um uma unidade do supermercado Carrefour, em Porto Alegre, o vice-presidente da República, Hamilton Mourão, afirmou que ''no Brasil, não existe racismo''. A declaração, nesta sexta-feira (20), justamente no Dia da Consciência Negra, aumentou a polêmica nas redes sociais e sucedeu a morte de João Alberto Silveira Freitas. 

"Lamentável, né? Lamentável isso aí. Isso é lamentável. Em princípio, é segurança totalmente despreparada para a atividade que ele tem que fazer... Para mim, no Brasil, não existe racismo. Isso é uma coisa que querem importar aqui para o Brasil. Isso não existe aqui", afirmou Hamilton Mourão. 

Em seguida, ao ser perguntado sobre a declaração acima, o vice-presidente da República reforçou o argumento de que o Brasil é um país com desigualdade social e sem racismo. ''Não, eu digo para você com toda a tranquilidade: não tem racismo aqui", repetiu. 

Relembre o caso

A Polícia Civil do Rio Grande do Sul segue com a investigação da morte de João Alberto Silveira Freitas, que foi espancado e morto por dois homens. De acordo com o repórter Lucas Abati, do SBT RS, a delegada Roberta Bertoldo confirmou que outros seguranças do Carrefour impediram o socorro à vítima. Em entrevista à emissora gaúcha, uma testemunha havia revelado que tentou ajudar, mas foi impedido. 

Nota do Carrefour na íntegra

“O Carrefour informa que adotará as medidas cabíveis para responsabilizar os envolvidos neste ato criminoso. Também romperá o contrato com a empresa que responde pelos seguranças que cometeram a agressão. O funcionário que estava no comando da loja no momento do incidente será desligado. Em respeito à vítima, a loja será fechada. Entraremos em contato com a família do senhor João Alberto para dar o suporte necessário.

O Carrefour lamenta profundamente o caso. Ao tomar conhecimento deste inexplicável episódio, iniciamos uma rigorosa apuração interna e, imediatamente, tomamos as providências cabíveis para que os responsáveis sejam punidos legalmente.

Para nós, nenhum tipo de violência e intolerância é admissível, e não aceitamos que situações como estas aconteçam. Estamos profundamente consternados com tudo que aconteceu e acompanharemos os desdobramentos do caso, oferecendo todo suporte para as autoridades locais”.

 

COMENTÁRIOS

Os comentários abaixo são de responsabilidade dos respectivos perfis do facebook.