CORONAVÍRUS

Medidas restritivas em Pernambuco passam a valer a partir desta segunda-feira (24); saiba mais

Medidas contra o avanço da covid-19 valem até o dia 6 de junho.

Medidas restritivas em Pernambuco passam a valer a partir desta segunda-feira (24); saiba mais

Secretário de Saúde de Pernambuco, André Longo, e a secretária executiva de Desenvolvimento Econômico, Ana Paula Vilaça. - Foto: Reprodução: Youtube

Durante a coletiva online sobre a covid-19 feita pelo Governo de Pernambuco nesta quinta-feira (20), a secretária executiva de Desenvolvimento Econômico, Ana Paula Vilaça, anunciou que a ampliação das medidas restritivas vigentes no decreto atual, que se encerraria neste domingo (23), por mais 15 dias, ou seja, até o dia 6 de junho. A decisão foi tomada por causa do crescente aumento no número de casos de covid no estado. 

>>>Medidas restritivas contra a covid-19 têm prazo estendido em Pernambuco; saiba mais

>>>Medidas mais restritivas contra a covid-19 começam a valer em 53 cidades do Agreste nesta terça (18); veja quais

Pernambuco terá mais 14 dias de medidas restritivas para conter o avanço da covid-19, a partir desta segunda-feira (24). A decisão foi tomada por causa do crescente aumento no número de casos de covid no estado, e foi anunciada na última quinta-feira (20), durante a coletiva online sobre o novo coronavírus, feita pelo Governo de Pernambuco. 

"Diante dos números da saúde apresentados, verificamos que ainda estão bastante altos. Ainda estamos em uma fase bastante crítica da pandemia em nosso estado. Após análise  desses números feita pelo comitê de saúde, nós decidimos por ampliar as medidas restritivas vigentes no decreto atual, que se encerrariam agora no dia 23 de maio, por mais 15 dias, até o dia 6 de junho. Essas medidas são extremamente necessárias para que a gente possa conter o avanço da pandemia em nosso estado", reiterou a secretária executiva de Desenvolvimento Econômico, Ana Paula Vilaça. 

O secretário de saúde André Longo ressaltou o aumento nos índices e afirmou que a situação não está tranquila. "A situação ainda é grave e precisamos ter um reforço nos cuidados porque dias ainda bastante difíceis estão por vir, especialmente nas próximas três semanas.", alertou. Em seguida, Longo não descartou restringir ainda mais as medidas, caso a situação seja agravada. "Estamos muito atentos e monitorando os indicadores da doença no estado. Ao menor sinal de piora, não exitaremos em tomar medidas mais restritivas como no caso adotamos esta semana na região do Agreste".

Covid-19 no estado

Nesta segunda-feira (24), a Secretaria Estadual de Saúde (SES-PE) registrou 1.368 casos da Covid-19. Entre os confirmados hoje, 80 (6%) são casos de Síndrome Respiratória Aguda Grave (SRAG) e 1.288 (94%) são leves. Agora, Pernambuco totaliza 463.736 casos confirmados da doença, sendo 43.686 graves e 420.050 leves. Também foram confirmados 28 óbitos, ocorridos entre 08/07/2020 e 23/05/2021. Com isso, o Estado totaliza 15.393 mortes pela Covid-19.

Veja como ficam os horários de funcionamento

1. Comércio do centro, dos bairros e de praia

Na RMR, o comércio varejista do Centro pode funcionar das 10h às 20h nos dias de semana e das 9h às 17h ou das 10h às 18h no final de semana. Já o comércio de praia tem o funcionamento limitado de segunda a sexta-feira, das 9h às 16h, sendo proibido de abrir aos finais de semana para não estimular aglomeração nas praias. Os barraqueiros de praia se posicionaram contra a medida, mas o governo manteve o decreto, argumentando a necessidade de controlar o contágio pela doença. Este final de semana, as prais do Pina e de Boa Viagem foram maus exemplos de aglomeração. O comércio varejista dos bairros também tem suas restrições. Durante os dias da semana os comerciantes podem optar por fazer um dos três horários estabelecidos: das 8h às 18h; das 09h às 19h ou das 10h às 20h. Nos finais de semana podem escolher fazer das 9h às 17h ou das 10h às 18h.

2. Shopping centers e galerias

Os shoppings e galerias comerciais do Grande Recife estão autorizados a funcionar nos dias de semana e nos finais de semana, mas com horários reduzidos. Só é permitido fazer dez horas contínuas, enquanto no horário normal desses estabelecimentos o funcionamento é de até doze horas. Nos dias de semana o horário pode ser das 10h às 20h e nos finais de semana de 9h às 17h ou de 10h às 18h. Uma alternativa aos consumidores é fazer uso do serviço de delivery, que continua em funcionamento.

3. Lojas de material de construção

As lojas de construção também estão funcionando com horário limitado, podendo abrir em quatro horários diferentes durante a semana: das 7h às 17h; das 8h às 18h; das 9 às 19h ou das 10h às 20h. Já nos finais de semana ficam estabelecidos os horários das 9h às 17h ou das 10h às 18h.

4. Academias, bares, restaurantes e salões de beleza

As academias, bares e restaurantes e salões de beleza estão autorizados a funcionar das 5h às 20h e das 10h às 20h de segunda a sexta. Já no final de semana o horário é das 5h às 18h, das 9h às 17h ou das 10h às 18h. O setor de bares e restaurantes foi um dos mais prejudicados pela pandemia e não consegue fazer uma recuperação rápida.

Agreste de Pernambuco

Foi publicado na última terça-feira (18), pelo Governo de Pernambuco, o decreto que oficializa as restrições mais rígidas em 53 cidades do Agreste do Estado para tentar conter o avanço da pandemia do novo coronavírus (covid-19). As restrições mais severas foram anunciadas no último sábado (15), pelo governador Paulo Câmara (PSB), após a 2ª Macrorregião de Saúde, que engloba a 4ª e a 5ª Regionais de Saúde, com sedes em Caruaru e Garanhuns, respectivamente, assistir ao crescimento de casos e mortes pela doença, além da alta na taxa de ocupação de leitos de UTI destinados a pacientes infectados pelo vírus.

Com as novas regras oficializadas, a partir desta terça (18), as atividades econômicas deverão ser encerradas às 18h, durante a semana. Nos fins de semana, apenas supermercados, feiras livres de produtos alimentícios, farmácias, padarias e postos de gasolina poderão abrir as portas. O objetivo é conter o aumento de casos e não colapsar o sistema de saúde. As UTIs da rede pública, por exemplo, têm uma ocupação superior a 90%. O decreto vale até o dia 31 de maio.

Situação limite

Para o governador Paulo Câmara, os números analisados pelo Comitê de Enfrentamento à Covid-19 apontam para uma situação limite. “Temos feito todos os esforços para minimizar os efeitos dessa pandemia. Fizemos a maior rede de UTIs (terapia intensiva) exclusivas para a covid entre os estados do Norte/Nordeste do Brasil. Só na 2ª Macrorregião, abrimos 178 leitos de terapia intensiva, em sete diferentes unidades de saúde nos municípios de Caruaru, Garanhuns, Bezerros e Gravatá. Infelizmente, desde domingo passado, temos apenas um leito livre”, disse o governador.

Polo de confecções

A determinação do governo do Estado proíbe o funcionamento do Polo de Confecções do Agreste, que tem as suas principais feiras em Caruaru, Santa Cruz do Capibaribe e Toritama. São mais de 10 municípios que giram em torno dessa atividade, que chega a gerar renda pra cerca de 100 mil pessoas, em uma estimativa feita pelo Governo do Estado. Geralmente, as feiras de confecções de Caruaru e o polo de Santa Cruz do Capibaribe funcionam aos sábados, domingos e segundas.

Por estarem inclusas nas restrições, as feiras do Polo de Confecções precisam adaptar os dias e horários de funcionamento. Dessa forma, as feiras só poderão receber o público de terça a sexta-feira, das 5h às 18h.

Segundo explicou a secretária-executiva de Desenvolvimento Econômico, Ana Paula Vilaça, em entrevista à TV Jornal Interior, o objetivo do Governo de Pernambuco é reduzir o fluxo de pessoas no Polo de Confecção ao suspender as atividades das feiras do Polo de Confecções nos finais de semana."(Porque) além dos comerciantes e dos atacadistas que vão até essas feiras comprar suas mercadorias, muitas famílias também vão, porque estão de folga do seu trabalho", disse Ana Paula.

De acordo com a Prefeitura de Caruaru, pelo fato de a Feira da Sulanca funcionar às segundas-feiras, o Delivery Sulanca será reativado. As outras feiras públicas do município vão funcionar de acordo com as determinações do novo decreto estadual.

Igrejas e templos

Apesar de considerados essenciais por lei sancionada pelo governador Paulo Câmara, igrejas, templos e demais locais de culto também serão atingidos pelas restrições. Segundo o decreto desta terça-feira, tais locais devem observar os horários e restrições previstos pelo documento, estando abertos, nos finais de semana, para a realização de atividades administrativas, serviços sociais e celebrações religiosas apenas de forma virtual, sem público.

>> Anvisa autoriza uso emergencial de coquetel contra a covid-19

Cidades sob restrições

Na IV Geres, que tem sede em Caruaru, estão incluídas 32 cidades: Agrestina, Alagoinha, Altinho, Barra de Guabiraba, Belo Jardim , Bezerros, Bonito, Brejo da Madre de Deus, Cachoeirinha, Camocim de São Felix, Caruaru, Cupira, Frei Miguelinho, Gravatá, Ibirajuba, Jataúba, Jurema, Panelas, Pesqueira, Poção, Riacho das Almas, Sairé, Sanharó, Santa Cruz do Capibaribe, Santa Maria do Cambucá, São Bento do Una, São Caetano, São Joaquim do Monte, Tacaimbó, Taquaritinga do Norte, Toritama, Vertentes.

Na V Geres, que tem sede em Garanhuns, são 21 municípios que terão restrições: Águas Belas, Angelim, Bom Conselho, Brejão, Caetés, Calçados, Canhotinho, Capoeiras, Correntes, Garanhuns, Iati, Itaíba, Jucati, Jupi, Lagoa do Ouro, Lajedo, Palmerina, Paranatama, Saloá, São João, Terezinha.

COMENTÁRIOS

Os comentários abaixo são de responsabilidade dos respectivos perfis do facebook.