Saúde

Pode consumir bebida alcoólica após tomar vacina da Pfizer contra a covid-19?

Muitas pessoas se perguntam se beber interfere na ação das vacinas da covid-19, como a da Pfizer

Karina Albuquerque
Karina Albuquerque
Publicado em 15/06/2021 às 12:30 | Atualizado em 20/12/2021 às 17:24
Divulgação/Ambev
FOTO: Divulgação/Ambev
Leitura:

Em parceria com a BioNTech, a Pfizer desenvolveu e testou uma vacina à base de mRNA* para combater o vírus SARS-CoV-2. A Pfizer selecionou essa tecnologia de vacina baseada em mRNA devido ao seu potencial de alta resposta, segurança e capacidade de rápida produção.

A tecnologia de mRNA pode ainda ser estratégica para cenários de pandemias e epidemias, devido à agilidade em modificação do antígeno codificado, caso necessário, bem como a potencialidade de realização de doses de reforço.

A técnica, na qual apenas um pedaço de material genético é usado, em vez de todo o vírus, nunca havia sido feita antes. Com o avanço no processo de vacinação, uma dúvida que surge é: após tomar a vacina contra a covid-19 fabricada pela Pfizer, é possível consumir bebida alcoólica?

Vacina da Pfizer e álcool

De acordo com a Sociedade Brasileira de Imunizações (SBIM), envolvida nas decisões do PNI (Programa Nacional de Imunização), nenhuma vacina, inclusas todas para prevenir a COVID-19, desaprova o consumo de bebidas alcoólicas ou exige restrições.

Segundo a entidade, não há interferência na resposta imunológica ou aumento de riscos adversos.

Efeitos do álcool

Mesmo assim, vale lembrar que o uso crônico e abusivo de bebidas alcoólicas pode deixar o sistema imunológico mais fraco, aumentar o risco de infecções por vírus e bactérias e também trazer vários problemas de saúde.

Campanhas de vacinação

Além da vacinação contra a covid-19, está acontecendo a Campanha Nacional de Vacinação contra o vírus Influenza (gripe). Promovida pelo Ministério da Saúde em todo o território nacional, a estimativa é vacinar 79,7 milhões de pessoas.

Pessoas que tomaram a primeira ou a segunda dose da vacina contra a covid-19 devem esperar, pelo menos, 14 dias para tomar o imunizante contra a gripe.

Pronunciamento do Governo

A SBIm, junto com o Ministério da Saúde, informou em abril que, até o momento, não existe recomendação voltada ao consumo de álcool e a imunização contra a covid-19.

Dessa forma, muitos comentários em redes sociais, onde várias pessoas afirmam ter reações alérgica, após tomar a vacina contra a covid-19, ou dizem que é necessário esperar 30 dias são invalidados.

Por meio de nota, o Ministério da Saúde afirmou que “não há nenhuma evidência sobre a relação do álcool com o comprometimento da formação de anticorpos da vacina contra a covid-19”.

Em entrevista para O Globo, Mônica Levi, diretora da SBIm, disse que essa desinformação pode desestimular a população a tomar a vacina contra a covid-19.

Já a biomédica Erica Siu, vice-presidente do Centro de Informações sobre Saúde e Álcool (Cisa), alertou sobre o alto consumo de álcool.

"A preocupação que a gente tem não é só com a vacina, é por toda a questão do consumo pesado de álcool em tempos de pandemia. É importante que as pessoas tenham um controle do consumo", disse.

Mais Lidas