POLÍCIA

Pai de santo fala sobre objetos de rituais filmados que supostamente seriam de Lázaro Barbosa; veja vídeo

Vídeo foi gravado pelo pai de santo André Vicente de Souza, que falou sobre a associação dos objetos com o suspeito Lázaro Barbosa.


Pai de santo fala sobre objetos de rituais filmados que supostamente seriam de Lázaro Barbosa; veja vídeo

Fotos mostra itens que indicam bruxaria e rituais, disse polícia - Foto: Divulgação/Polícia Civil

ATUALIZAÇÃO: Plano de Lázaro é fugir para outro estado; clique aqui e entenda.

O pai de santo André Vicente de Souza falou, em vídeo divulgado neste sábado (19), que policiais entraram em seu terreiro de Candomblé, agrediram o caseiro do local, quebraram portas e tiraram fotos de objetos religiosos. As imagens circularam junto à informação de que Lázaro Barbosa praticou rituais satânicos em seus crimes, ligando, de forma incorreta, o Candomblé à prática delituosa do foragido.

Líderes de reigiões de matriz africana de Brasília e do entorno de Goiás denunciam intolerância religiosa durante as buscas pelo suspeito acusado  de uma série de crimes, entre eles uma chacina que vitimou quatro pessoas da mesma família, no Incra 9, em Ceilândia. A informação foi divulgada pela Coluna Angular, no Portal Metrópoles.

 

>>> Nesta segunda-feira, polícia recebe nova denúncia de possível esconderijo de Lázaro e coloca colete à prova de balas em denunciante; veja tudo clicando aqui. 

>>> Lázaro quer fugir para outro estado; entenda.

 

Lázaro, de 32 anos, está foragido há 12 dias e mais de 200 policiais estão empenhados em encontrá-lo na mata localizada nos arredores de Girassol, distrito de Cocalzinho de Goiás. 

>>>É falso vídeo que circula no WhatsApp mostrando suposta captura de Lázaro Barbosa, o serial killer de Brasília

>>>Polícia acha carta dentro de esconderijo de Lázaro Barbosa, o serial killer de Brasília; leia o documento

Veja no vídeo

Pai André registrou um boletim de ocorrência na 1ª Delegacia Distrital de Polícia de Águas Lindas de Goiás, nessa sexta-feira (18/6). No depoimento, o religioso afirmou que policiais “tiveram comportamento abusivo, agredindo fisicamente o caseiro, quebrando objetos de cunho religioso e perguntando pelo foragido Lázaro”. Ele não soube dizer a qual corporação os agentes pertencem. A megaoperação para capturar Lázaro envolve policiais federais, civis e militares de Goiás e do DF. 

“O que aparece nas fotos são as vasilhas feitas de barros e os nosso símbolos. Não tinha pedaço de orelha ou crânio, como disseram denúncias anônimas. Não trabalhamos com nada disso. Nós trabalhamos com caridade, entregando cestas básicas. Precisamos desmitificar urgentemente a nossa história”, declarou Adna, conhecida como Mãe Baiana, ao Portal Metrópoles.

Confira a linha do tempo da fuga de Lázaro Barbosa

  • Dia 1 - Na quarta-feira (9), ele cometeu o assassinato de uma família em Ceilândia.
  • Dia 2 - Na manhã do dia seguinte, quinta-feira (10), o homem teria invadido uma casa que fica a 3 km do local onde o caso aconteceu. Lá, de acordo com o Correio Braziliense, ele teria colocado Sílvia Campos, 40, proprietária da chácara, e o caseiro, identificado como Anderson, 18, na mira de seu revólver por 3 horas. No local, ele ainda teria obrigado os dois a fumarem maconha. Antes de fugir, roubou R$ 200, uma jaqueta, celulares e carregador.
  • Dia 3 - No terceiro dia de fuga, Lázaro fez mais um refém e roubou um Fiat Pálio em Ceilândia. Com o veículo, ele se dirigiu a Cocalzinho, desta vez em Goiás, onde abandonou e incendiou o carro. As investigações apontam que lá, ele se encontrou com um comparsa, que o ofereceu suporte.
  • Dia 4 - Já no sábado (12), ele teria passado a tarde bebendo e se divertindo em uma chácara, próxima à Lagoa Samuel. Lá o suspeito fez o caseiro refém. O serial killer também o obrigou a fumar maconha. Antes de fugir novamente, Lázaro destruiu o carro da vítima. Após deixar essa casa, ele foi para outra chácara, onde baleou três homens e roubou duas armas de fogo.
  • Dia 5 - Na tarde do domingo (13), o foragido furtou um outro carro, também em Cocalzinho (GO), e abandonou o veículo, um Corsa vermelho, após avistar um ponto de bloqueio montado pela polícia.
  • Dia 6 - Na segunda-feira (14), Lázaro foi visto no curral de uma fazenda entre os distritos de Edelândia e Girassol. A polícia acredita que ele passou a noite no local. Segundo o caseiro da fazenda, o homem pediu comida e em seguida fugiu para a mata.
  • Dia 7 - Na terça-feira (15), após ser cercado por policiais, ele atirou contra um deles e o deixou ferido no rosto. No momento do tiroteio, ele fazia três pessoas reféns, um casal e a filha de 16 anos. Apesar da presença da polícia, Lázaro conseguiu fugir. As investigações policiais continuam e podem apontar para outros delitos.
  • Dia 8 - Nessa quarta (16), durante a madrugada, Lázaro invadiu uma fazenda, preparou comida e fugiu novamente. A propriedade rural fica localizada a cerca de 8 km de distância da cidade de Edilândia, em Goiás, onde ele foi visto na terça-feira (15).
  • Dia 9 - Nesta quinta-feira (17), na madrugada a polícia segue à procura dele, no povoado de Girassol, em Goiás. Até o momento, Lázaro conseguiu escapar de uma força-tarefa formada por mais de 200 policiais. As equipes policiais fizeram buscas durante toda a madrugada. A Polícia Militar de Goiás chegou à zona rural de Cocalzinho de Goiás, que fica a 120 quilômetros de Brasilia, para reforçar as buscas. Drones da Receita Federal e até um helicóptero foi utilizado para tentar identificar o "assassino em série". 
  • Dia 10 - O secretário de Segurança Pública de Goiás, Rodney Miranda, disse na noite desta sexta-feira (18) que acredita ter avistado Lázaro Barbosa, 32 anos, em um vale. À tarde, a Polícia Rodoviária Federal (PRF) tinha dito que o chamado "serial killer do DF" esteve em um chiqueiro e fugiu novamente em meio à vegetação.
  • Dia 11 - Neste sábado (19) especialistas consultados pelo SBT News apontam que alguns dos motivos que dificultam a localização do suspeito são a imprevisibilidade do tipo de patologia de Lázaro e as dificuldades logísticas das forças de segurança.
  • Dia 12 - Um morador de Girassol, distrito de Cocalzinho de Goiás, afirmou para a polícia que a casa dele foi revirada na madrugada deste domingo (20). Segundo a corporação, não é possível confirmar se a invasão tem relação com o caso Lázaro.

COMENTÁRIOS

Os comentários abaixo são de responsabilidade dos respectivos perfis do facebook.