POLÍCIA

Defesa de Lázaro Barbosa se manifesta e pede proteção física e mental caso ele seja preso; veja o que diz documento


Esta segunda (21) representa o décimo terceiro dia de caçada ao suspeito Lázaro Barbosa, de 32 anos.

Gustavo Henrique Gustavo Henrique
Gustavo Henrique
Gustavo Henrique
Publicado em 21/06/2021 às 16:50
SBT/ TV Serra Dourada
FOTO: SBT/ TV Serra Dourada
Leitura:

O homem mais procurado pela polícia do Distriro Federal e de Goiás, Lázaro Barbosa de Sousa, de 32 anos, possui advogada constituída e um pedido de proteção especial à integridade física e menta dele, visando a possível prisão do suspeito. A informação foi divulgada por Metrópoles. Ainda de acordo com o portal, a solicitação protocolada na Justiça prevê também salvaguarda contra "quaquer forma de "sensacionalismo e exposição vexatória".

>>>Melhor amigo de Lázaro Barbosa concede entrevista: 'Ele tem artimanha'; confira

>>>Atrás de Lázaro Barbosa, polícia faz buscas em casa invadida durante a madrugada neste domingo (20)

Os pedidos são da Defensoria Pública do DF endereçados à Vara de Execuções Penais do DF (VEP-DF). Eles foram encaminhados para análise da juíza Leila Cury, nesta segunda-feira (21), data que representa o 13º dia de buscas por Lázaro.

No documento, a defensora pública responsável pelo caso afirma que, “considerando a enorme repercussão nacional conferida ao caso, visando salvaguardar a vida e a saúde de Lázaro, a defesa técnica solicita ao ilustre juízo que, desde logo, seja garantida a proteção da integridade física e psíquica do apenado”, diz na juntada de petição.

A defensora ainda pede, que, em caso de prisão, Lázaro seja alocado “em instalações seguras, se possível, sem ter que dividir cela com outros internos do estabelecimento prisional em caso de ser recapturado com vida”.

>>>É falso vídeo que circula no WhatsApp mostrando suposta captura de Lázaro Barbosa, o serial killer de Brasília

>>>Polícia acha carta dentro de esconderijo de Lázaro Barbosa, o serial killer de Brasília; leia o documento

Tortura

A Defensoria Pública destaca no pedido à VEP “que a tortura, bem como a violência física ou psicológica direcionada a qualquer ser humano são consideradas práticas ilícitas vedadas pelo ordenamento jurídico pátrio e pelos tratados internacionais que o Brasil se comprometeu perante os sistemas global e interamericano”.

Ainda de acordo com Metrópoles, a defesa requereu, ainda, que seja conferida a proteção de Lázaro “em face de ataques midiáticos e dos pedidos de “entrevistas exclusivas” ou outro tipo de promoção que o exponha ainda mais quando houver a recaptura, pois estamos vivenciando um sensacionalismo exacerbado nas buscas pelo apenado, com inúmeras comparações do caso com os filmes de ação e com a proliferação de “memes” nas redes sociais criados pelos usuários que acompanham atuação dos agentes públicos”, pede a defensoria.

Confira a linha do tempo da fuga de Lázaro Barbosa

  • Dia 1 - Na quarta-feira (9), ele cometeu o assassinato de uma família em Ceilândia.
  • Dia 2 - Na manhã do dia seguinte, quinta-feira (10), o homem teria invadido uma casa que fica a 3 km do local onde o caso aconteceu. Lá, de acordo com o Correio Braziliense, ele teria colocado Sílvia Campos, 40, proprietária da chácara, e o caseiro, identificado como Anderson, 18, na mira de seu revólver por 3 horas. No local, ele ainda teria obrigado os dois a fumarem maconha. Antes de fugir, roubou R$ 200, uma jaqueta, celulares e carregador.
  • Dia 3 - No terceiro dia de fuga, Lázaro fez mais um refém e roubou um Fiat Pálio em Ceilândia. Com o veículo, ele se dirigiu a Cocalzinho, desta vez em Goiás, onde abandonou e incendiou o carro. As investigações apontam que lá, ele se encontrou com um comparsa, que o ofereceu suporte.
  • Dia 4 - Já no sábado (12), ele teria passado a tarde bebendo e se divertindo em uma chácara, próxima à Lagoa Samuel. Lá o suspeito fez o caseiro refém. O serial killer também o obrigou a fumar maconha. Antes de fugir novamente, Lázaro destruiu o carro da vítima. Após deixar essa casa, ele foi para outra chácara, onde baleou três homens e roubou duas armas de fogo.
  • Dia 5 - Na tarde do domingo (13), o foragido furtou um outro carro, também em Cocalzinho (GO), e abandonou o veículo, um Corsa vermelho, após avistar um ponto de bloqueio montado pela polícia.
  • Dia 6 - Na segunda-feira (14), Lázaro foi visto no curral de uma fazenda entre os distritos de Edelândia e Girassol. A polícia acredita que ele passou a noite no local. Segundo o caseiro da fazenda, o homem pediu comida e em seguida fugiu para a mata.
  • Dia 7 - Na terça-feira (15), após ser cercado por policiais, ele atirou contra um deles e o deixou ferido no rosto. No momento do tiroteio, ele fazia três pessoas reféns, um casal e a filha de 16 anos. Apesar da presença da polícia, Lázaro conseguiu fugir. As investigações policiais continuam e podem apontar para outros delitos.
  • Dia 8 - Nessa quarta (16), durante a madrugada, Lázaro invadiu uma fazenda, preparou comida e fugiu novamente. A propriedade rural fica localizada a cerca de 8 km de distância da cidade de Edilândia, em Goiás, onde ele foi visto na terça-feira (15).
  • Dia 9 - Nesta quinta-feira (17), na madrugada a polícia segue à procura dele, no povoado de Girassol, em Goiás. Até o momento, Lázaro conseguiu escapar de uma força-tarefa formada por mais de 200 policiais. As equipes policiais fizeram buscas durante toda a madrugada. A Polícia Militar de Goiás chegou à zona rural de Cocalzinho de Goiás, que fica a 120 quilômetros de Brasilia, para reforçar as buscas. Drones da Receita Federal e até um helicóptero foi utilizado para tentar identificar o "assassino em série".
  • Dia 10 - O secretário de Segurança Pública de Goiás, Rodney Miranda, disse na noite desta sexta-feira (18) que acredita ter avistado Lázaro Barbosa, 32 anos, em um vale. À tarde, a Polícia Rodoviária Federal (PRF) tinha dito que o chamado "serial killer do DF" esteve em um chiqueiro e fugiu novamente em meio à vegetação.
  • Dia 11 - Neste sábado (19) especialistas consultados pelo SBT News apontam que alguns dos motivos que dificultam a localização do suspeito são a imprevisibilidade do tipo de patologia de Lázaro e as dificuldades logísticas das forças de segurança.
  • Dia 12 - Um morador de Girassol, distrito de Cocalzinho de Goiás, afirmou para a polícia que a casa dele foi revirada na madrugada deste domingo (20). Segundo a corporação, não é possível confirmar se a invasão tem relação com o caso Lázaro.
  • Dia 13 - A busca pelo foragido Lázaro Barbosa, 32 anos, suspeito de matar quatro pessoas, promover sequestros e invadir propriedades rurais no Distrito Federal, chegou ao 13º dia. Policiais militares de Goiás vasculham a área de cerca de 200 metros quadrados, no distrito de Cocalzinho, em busca de pistas na mata e às margens da BR-070, que corta a cidade, mas até agora, o "serial killer de Brasília" não foi encontrado.

Mais Lidas