LÁZARO BARBOSA

Por que o caçador Babaçu desistiu de procurar Lázaro Barbosa? Entenda

Caçador José Marcos Rodrigues Pereira, de 41 anos, conhecido por 'Babaçu', desistiu das buscas, durante a madrugada desta quarta-feira (23).


Por que o caçador Babaçu desistiu de procurar Lázaro Barbosa? Entenda

Babaçu desistiu de caçar Lázaro na madrugada desta quarta-feira. - Foto: Reprodução/Record TV

ATUALIZAÇÃO: Veja últimas notícias de hoje sobre buscas por Lázaro Barbosa.

O caçador José Marcos Rodrigues Pereira, 41, conhecido por 'Babaçu', desistiu, durante a madrugada desta quarta-feira (23), de ajudar na caçada a Lázaro Barbosa, 32. Atualmente, Lázaro, conhecido na internet como "o serial killer de Brasília", é o homem mais procurado do Goiás e do Distrito Federal. Esta quarta-feira (23) representa o 15º dia de buscas pelo homem, que é o principal suspeito de assassinar uma família em Ceilândia e também condenado por outros crimes.

>>>Saiba quais animais Lázaro Barbosa pode ter abatido e comido durante fuga na mata

>>>Vídeo antigo mostra Lázaro Barbosa agradecendo ao ganhar bicicleta: 'Que Deus abençoe vocês'

>>>Defesa de Lázaro Barbosa se manifesta e pede proteção física e mental caso ele seja preso; veja o que diz documento

Durante a manhã, Babaçu ainda não havia voltado à cidade em que vive, São Miguel do Araguaia. Ele permanece no distrito de Girassol, em Cocalzinho, instalado em uma base montada pela polícia na cidade. O motivo da desistência foi um pedido feito pela mãe dele.

"Fui pensar bem e sempre queria voltar para trás. Minha mãe começou a chorar, ligou pra mim e larguei isso de vez. Vou escutar minha mãe", disse em vídeo. Babaçu se ofereceu para colaborar com as buscas por Lázaro e em troca pediu uma roupa do exército, uma arma e dinheiro. "Eu assinava um papel dizendo que sou responsável por mim, mas vou embora amanhã cedo já que eles não querem que eu ajude", disse ele.

 

>>> LEIA MAIS: Veja como estão as buscas por Lázaro nesta quinta-feira (24).

 

Babaçu contou também que se ofereceu para auxiliar com a çacada a Lázaro atendendo a um pedido dos filhos. "Estava em casa e por caçar a vida toda e aprender a viver dentro do mato, meus filhos pequenos falaram que eu dava conta de achar ele para comprar um carro melhor pra nós", revelou.

Trabalho árduo

Porém, o caçador diz não se tratar de um trabalho simples nem para ele, tampouco para a polícia. "Eles é bem estruturado, a gente acha que é fácil, mas depois a gente vê que é difícil mesmo, até pra mim que tenho experiência. Por eu sobreviver dentro do mato, eu sobrevivo bem, mas tem 6 meses que eu parei. O povo que me conhece e já me viu acredita em mim."

 

>>> Veja últimas informações sobre as buscas por Lázaro Barbosa.

 

Babaçu diz que tinha expectativas de encontrar Lázaro Barbosa na mata. "Pensei que eu ia chegar e pegar ele. Meus filhos me falam pra ficar pra ver se eu consigo mostrar o rumo, rastrear os cachorros. Mas do mesmo jeito que é difícil pra mim é difícil pros policiais. A sobrevivência do lázaro na mata é igual a minha."

>>>Lázaro Barbosa se entregou à polícia? O que se sabe sobre o paradeiro dele? Veja últimas informações e resumo das buscas

Últimas informações do caso

De acordo com o portal Metrópoles, policiais que estão em busca de Lázaro, nesta terça-feira (22), encontraram até rãs desossadas, supostamente deixadas pelo suspeito, provavelmente ingeridas por ele. 

Os militares acharam o anfíbio próximo a pedras, às margens de um dos córregos usados por Lázaro para se movimentar pela mata. Um facão pouco amolado foi deixado ao lado do animal, e recolhido pelos integrantes da força-tarefa. Acredita-se que o objeto era usado pelo homem, mas foi abandonado quando perdeu o corte.

Lázaro, segundo homens das forças de segurança que estão em seu encalço, também teria abatido dois frangos furtados de duas chácaras invadidas por ele na semana passada. Os proprietários deram falta das aves após as investidas do criminoso.

Objetos queimados

Ainda de acordo com Metrópoles, a fim de dificultar a sua localização, Lázaro queima praticamente tudo o que usa para não deixar rastros aos cães farejadores. Além dos animais abatidos, o autor da chacina que tirou a vida de quatro pessoas da mesma família teria roubado, na última semana, uma peça de queijo e linguiça defumada de uma das casas arrombadas. 

De acordo com os donos das residências, os alimentos matariam a fome de Lázaro por pelo menos cinco dias. Cascas de frutas chegaram a ser encontradas em pontos isolados das matas, mas sem qualquer rastro que indicasse o paradeiro de Lázaro. Cinco cães farejadores atuam nas buscas ao maníaco.

O cerco policial montado pelas forças de segurança para tentar capturar o suspeito se concentra no município de Girassol, em Goiás, local onde ele trocou tiros com a polícia na última semana e voltou a se esconder na mata.

>>>Melhor amigo de Lázaro Barbosa concede entrevista: 'Ele tem artimanha'; confira

>>>Atrás de Lázaro Barbosa, polícia faz buscas em casa invadida durante a madrugada neste domingo (20)

Vídeo antigo de Lázaro

Um vídeo recuperado na última semana e que está repercutindo bastante na internet mostra Lázaro Barbosa, que atualmente é o homem mais procurado pelas forças do Goiás e do Distrito Federal, agradecendo a Deus e a pessoas que ajudaram a comprar uma bicicleta para ele. 

"Aê galera, quero agradecer todo mundo aí que contribuiu. Tá aqui a bicicleta, gostei muito. Vai servir muito para mim, botar uns lanches aqui para vender. Quero agradecer todos vocês que tiveram um bom coração aí e fizeram a parte de vocês. Que Deus abençoe todos vocês em nome de Jesus. Vai servir muito, muito obrigado. Valeu!", diz Lázaro, nas imagens antigas. O vídeo foi exibido no programa O Povo na TV da última sexta-feira (18).  (Veja abaixo a partir do minuto 3).

Confira a linha do tempo da fuga de Lázaro Barbosa

  • Dia 1 - Na quarta-feira (9), ele cometeu o assassinato de uma família em Ceilândia.
  • Dia 2 - Na manhã do dia seguinte, quinta-feira (10), o homem teria invadido uma casa que fica a 3 km do local onde o caso aconteceu. Lá, de acordo com o Correio Braziliense, ele teria colocado Sílvia Campos, 40, proprietária da chácara, e o caseiro, identificado como Anderson, 18, na mira de seu revólver por 3 horas. No local, ele ainda teria obrigado os dois a fumarem maconha. Antes de fugir, roubou R$ 200, uma jaqueta, celulares e carregador.
  • Dia 3 - No terceiro dia de fuga, Lázaro fez mais um refém e roubou um Fiat Pálio em Ceilândia. Com o veículo, ele se dirigiu a Cocalzinho, desta vez em Goiás, onde abandonou e incendiou o carro. As investigações apontam que lá, ele se encontrou com um comparsa, que o ofereceu suporte.
  • Dia 4 - Já no sábado (12), ele teria passado a tarde bebendo e se divertindo em uma chácara, próxima à Lagoa Samuel. Lá o suspeito fez o caseiro refém. O serial killer também o obrigou a fumar maconha. Antes de fugir novamente, Lázaro destruiu o carro da vítima. Após deixar essa casa, ele foi para outra chácara, onde baleou três homens e roubou duas armas de fogo.
  • Dia 5 - Na tarde do domingo (13), o foragido furtou um outro carro, também em Cocalzinho (GO), e abandonou o veículo, um Corsa vermelho, após avistar um ponto de bloqueio montado pela polícia.
  • Dia 6 - Na segunda-feira (14), Lázaro foi visto no curral de uma fazenda entre os distritos de Edelândia e Girassol. A polícia acredita que ele passou a noite no local. Segundo o caseiro da fazenda, o homem pediu comida e em seguida fugiu para a mata.
  • Dia 7 - Na terça-feira (15), após ser cercado por policiais, ele atirou contra um deles e o deixou ferido no rosto. No momento do tiroteio, ele fazia três pessoas reféns, um casal e a filha de 16 anos. Apesar da presença da polícia, Lázaro conseguiu fugir. As investigações policiais continuam e podem apontar para outros delitos.
  • Dia 8 - Nessa quarta (16), durante a madrugada, Lázaro invadiu uma fazenda, preparou comida e fugiu novamente. A propriedade rural fica localizada a cerca de 8 km de distância da cidade de Edilândia, em Goiás, onde ele foi visto na terça-feira (15).
  • Dia 9 - Nesta quinta-feira (17), na madrugada a polícia segue à procura dele, no povoado de Girassol, em Goiás. Até o momento, Lázaro conseguiu escapar de uma força-tarefa formada por mais de 200 policiais. As equipes policiais fizeram buscas durante toda a madrugada. A Polícia Militar de Goiás chegou à zona rural de Cocalzinho de Goiás, que fica a 120 quilômetros de Brasilia, para reforçar as buscas. Drones da Receita Federal e até um helicóptero foi utilizado para tentar identificar o "assassino em série". 
  • Dia 10 - O secretário de Segurança Pública de Goiás, Rodney Miranda, disse na noite desta sexta-feira (18) que acredita ter avistado Lázaro Barbosa, 32 anos, em um vale. À tarde, a Polícia Rodoviária Federal (PRF) tinha dito que o chamado "serial killer do DF" esteve em um chiqueiro e fugiu novamente em meio à vegetação.
  • Dia 11 - Neste sábado (19) especialistas consultados pelo SBT News apontam que alguns dos motivos que dificultam a localização do suspeito são a imprevisibilidade do tipo de patologia de Lázaro e as dificuldades logísticas das forças de segurança.
  • Dia 12 - Um morador de Girassol, distrito de Cocalzinho de Goiás, afirmou para a polícia que a casa dele foi revirada na madrugada deste domingo (20). Segundo a corporação, não é possível confirmar se a invasão tem relação com o caso Lázaro.
  • Dia 13 - A busca pelo foragido Lázaro Barbosa, 32 anos, suspeito de matar quatro pessoas, promover sequestros e invadir propriedades rurais no Distrito Federal, chegou ao 13º dia. Policiais militares de Goiás vasculham a área de cerca de 200 metros quadrados, no distrito de Cocalzinho, em busca de pistas na mata e às margens da BR-070, que corta a cidade, mas até agora, o "serial killer de Brasília" não foi encontrado.

COMENTÁRIOS

Os comentários abaixo são de responsabilidade dos respectivos perfis do facebook.