Vacinação

Vacina contra a Covid-19: Depois de ter sido infetado pelo coronavírus, quando posso tomar a vacina? Pode beber?

Confira as repostas para dúvidas comuns das pessoas que tomaram ou vão tomar a vacina contra a Covid-19

Gustavo Henrique
Gustavo Henrique
Publicado em 18/10/2021 às 15:20 | Atualizado em 25/04/2022 às 16:39
SECOM
FOTO: SECOM
Leitura:

Com a faixa etária para vacinação contra a Covid-19 cada vez menor em todo o Brasil, muitas pessoas têm dúvidas sobre como a vacina funciona. Confira as dúvidas mais frequentes sobre a vacinada Covid-19.

A vacina da Covid-19 causa reações adversas?

Assim como qualquer outro tipo de vacina, a vacina do novo coronavírus também pode provocar aparecimento de alguns efeitos secundários, principalmente dor no local da injeção, como inchaço, dor e vermelhidão.

Além disso, algumas pessoas podem ainda apresentar cansaço, dor muscular, febre e dor de cabeça. Estes sintomas geralmente são leves e tendem a desaparecer em poucos dias.

Posso tomar a vacina depois de ter coronavírus?

A Sociedade Brasileira de Imunizações (SBIm) orienta esperar pelo menos quatro semanas após o início dos sintomas.

Se o caso foi assintomático, o indivíduo deveria contar o mesmo período a partir do primeiro resultado positivo no exame de RT-PCR. Para aqueles que chegaram a ser internados, também se indica aguardar o completo restabelecimento antes de buscar as doses.

Mas a pediatra Isabella Ballalai, vice-presidente da SBIm, explicou, em entrevista à VEJA, que esse tempo é uma medida de precaução, e não uma contraindicação.

Não há dados indicando que, se um paciente infectado tomar a vacina antes desse prazo, ele corre qualquer risco.

A orientação serve porque a pessoa pode apresentar sintomas e complicações tardias do coronavírus em si. Se ele receber a vacina nesse meio tempo, é possível que os sinais da doença sejam confundidos com possíveis reações adversas do imunizante”, esclarece Isabella.

Posso beber depois de tomar a vacina contra a Covid-19?

Ainda segundo a SBIm, envolvida nas decisões do Programa Nacional de Imunização (PNI), nenhuma vacina, incluindo todas para prevenir a Covid-19, contraindica o consumo de bebidas alcoólicas ou exige precauções. Não há qualquer interferência na resposta imunológica ou aumento do risco de eventos adversos.

É importante ressaltar, no entanto, que o uso crônico e abusivo de álcool pode enfraquecer o sistema imunológico, aumentar o risco de infecções por vírus e bactérias, além de trazer diversos outros prejuízos à saúde e à vida.

Mais Lidas