Buscas

'A gente só quer achar ele', desabafa Thalya Viana, namorada do copiloto envolvido em queda de avião bimotor

Família de copiloto envolvido em queda de avião em Ubatuba reclama de demora nas buscas e procura paralelamente

Com informações do SBT
Com informações do SBT
Publicado em 26/11/2021 às 8:27 | Atualizado em 11/01/2022 às 17:35
Reprodução
FOTO: Reprodução
Leitura:

Thalya Viana, namorada do copiloto que estava no avião que caiu entre Paraty, no Rio de Janeiro e Ubatuba, em São Paulo, nessa quinta-feira (25), José Porfírio de Brito Júnior, reclama do trabalho de resgate e buscas. 

"A gente só quer achar ele. Não importa se é de manhã, de tarde, de noite, a gente só precisa achar", pediu Thalya em vídeo publicado nas redes sociais.

Ela pede para que o Corpo de Bombeiros acelere os trabalhos.

>> Queda de avião bimotor: Quem estava a bordo da aeronave que caiu entre SP e RJ? De quem era o avião? Como estão as buscas? Veja tudo o que se sabe sobre o acidente

Família ajuda nas buscas

A família do copiloto alugou três barcos e tentam achar um helicóptero para ajudar na procura. 

De acordo com o Corpo de Bombeiros do Rio de Janeiro, a operação de resgate segue em mar aberto e também há buscas na região costeira. "As operações foram reiniciadas na manhã desta sexta-feira (26), às 5h", informou em nota.

O SBT News espera por um posicionamento dos Bombeiros de São Paulo sobre as reclamações feitas pela namorada do copiloto.

>> Queda de avião bimotor: aeronave que caiu com três pessoas a bordo não tinha autorização para fazer táxi aéreo

Mãe do copiloto

A mãe do copiloto José Porfírio, Ana Regina Porfírio, falou com o Programa Vem Pra Cá, do SBT, ao vivo, e disse que a atuação da Marinha é "absurda".

Em Paraty, desde às 5h da manhã dessa quinta-feira (25), ela, o pai do copiloto e um piloto amigo do casal, alugaram um barco e passaram a realizar uma busca paralela pelos destroços do aeronave.

Segundo ela, a Marinha só iniciou as buscas pelas vítimas e destroços às 9h da manhã da quinta, após 12 horas do acidente.

O acidente aéreo

O voo estava destinado ao Rio de Janeiro, no Aeroporto de Jacarepaguá.

Viajavam naquele momento o dono da aeronave e copiloto, José Porfirio Jr., o piloto Gustavo Carneiro e um passageiro, identificado apenas como Sérgio.

A Força Aérea Brasileira (FAB) localizou um dos corpos ontem, mas ainda não revelou a identidade do tripulante.

Buscas pelas vítimas

A Força Aérea Brasileira (FAB) informou que um helicóptero foi enviado ao local às 4h15 da manhã e a localização dos destroços só foi possível por meio de óculos de visão noturna.

As coordenadas foram encaminhadas para equipes que estavam no mar para dar prosseguimento as buscas.

A mãe de José Jr. refuta a informação de que as buscas estavam sendo realizadas desde a madrugada. Poltronas da aeronave que estavam no mar foram encontradas por ela.

Segundo a nota oficial do Corpo de Bombeiros fluminense, o acidente aconteceu "em área de mar aberto, na região de Ubatuba, São Paulo. O Corpo de Bombeiros Militar do Estado do Rio de Janeiro já disponibilizou uma equipe para dar apoio à Aeronáutica".

No entanto, apesar da nota dos Bombeiros, as informações da família apontam que a aeronave caiu no mar no Rio de Janeiro.

Mais Lidas