MORTE

Mulher de 43 anos sai de casa para ir ao bar e é encontrada morta às margens da BR-101, no Grande Recife

A família de Ana Maria da Silva, de 43 anos, disse que a mulher havia saído de casa no dia do fato por volta das 15h com uma das filhas para ir a um bar no bairro do Ibura, na Zona Sul do Recife, e não voltou mais.

Catêrine Costa
Catêrine Costa
Publicado em 11/05/2022 às 17:57 | Atualizado em 12/05/2022 às 12:05
Notícia
Reprodução/ TV Jornal
Ana Maria da Silva, de 43 anos, foi encontrado pela Polícia Rodoviária Federal às margens do Km 79 na BR-101 em Jaboatão dos Guararapes, no Grande Recife. - FOTO: Reprodução/ TV Jornal
Leitura:

Uma cuidadora de idosos teve o corpo encontrado pela Polícia Rodoviária Federal (PRF) às margens do Km 79 na BR-101 em Jaboatão dos Guararapes, Grande Recife, no último sábado (7).

A família de Ana Maria da Silva, de 43 anos, disse que a mulher havia saído de casa no dia do fato por volta das 15h com uma das filhas para ir a um bar no bairro do Ibura, na Zona Sul do Recife, e não voltou mais.

Os filhos tiveram a confirmação da morte da mãe no Departamento de Homicídio e Proteção à Pessoa (DHPP) quando foram prestar depoimento, nesta quarta-feira (11). Eles ficaram desesperados com a notícia. 

De acordo com laudo pericial, o corpo de Ana foi identificado desde o último domingo (8), através de perícia papiloscópica. 

O QUE DIZ A FAMÍLIA

Os parentes receberam a informação de que Ana Maria morreu em decorrência de um atropelamento quando desceu do ônibus que pegou logo após sair do bar no sábado à noite.

O atestado de óbito confirma a morte por politraumatismo. Mas os filhos acreditam que outra versão pode existir para a morte da mãe.

Noemir Soares, filha da vítima, contou que a cuidadora havia vendido uma casa e que no sábado estava com uma parte do dinheiro.

"As pessoas que ela estava poderia ter matado ela e jogado ela ali para forjar um acidente. Ou então, a pessoa fez o acidente acontecer. Eu acho que tentaram levar o dinheiro da minha mãe. Se ela não saiu com dinheiro, ela estava com todos os cartões e documentos", revelou a filha.

A filha também não entendeu por que o corpo da mãe foi encaminhado para o Instituto de Medicina Legal (IML) no sábado (7), conforme declaração de óbito, foi identificada no domingo, dia 8 de maio, de acordo com o laudo pericial, e nenhum parente foi informado quando procurou notícias da mulher.

"No domingo [8 de maio], meu irmão mais velho compareceu e disse [o IML] que o corpo não estava. Na segunda [9 de maio] eu e meu esposo recebemos a informação de que não tinha nenhum corpo, nem como indigente", contou Noemir. 


POLÍCIA CIVIL

A Polícia Civil de Pernambuco informou que segue investigando o caso para identificar as circunstâncias da morte.

SECRETÁRIA DE DESEFA SOCIAL

Veja nota na íntegra:

O IML Recife informa que o corpo de Ana Maria da Silva, 43 anos, chegou à unidade às 2h30 do domingo, 08/05, sendo periciado e identificado durante o domingo. A família esteve no IML pela primeira vez na quarta-feira, 11/05, para retirada do corpo. A Polícia Civil de Pernambuco segue com as investigações para identificar as circunstâncias da morte.

Comentários

Mais Lidas