DIA DA CONSCIÊNCIA NEGRA

Negros ainda são minoria nas universidades particulares do Recife

Apesar do equilíbrio nas universidades públicas do Brasil, segundo dados do IBGE, a realidade de alunos negros do sistema privado é diferente

Negros ainda são minoria nas universidades particulares do Recife

Para a estudante Mariana Nascimento, a supremacia branca é evidente nas universidades particulares - Foto: Reprodução/TV Jornal

O número de matrículas de estudantes negros e pardos nas universidades públicas do Brasil ultrapassou, pela primeira vez, o de brancos, chegando a 50,3%. Segundo dados do Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE), o avanço dessa parcela da população é resultado, principalmente, do sistema de cotas, que, desde 2012, reserva vagas a candidatos de determinados grupos populacionais.

>> Atlas da Violência 2019: Negros morrem cada vez mais em Pernambuco

>> Desemprego é maior entre nordestinos, mulheres e negros, divulga IBGE

>> Número de negros na Câmara cresce, mas não chega a um quarto do total

 

 

Nesta quarta-feira (20), é celebrado o Dia da Consciência Negra. Apesar do equilíbrio mostrado pela porcentagem, no ambiente público de educação, a supremacia branca ainda se faz presente nas universidades e faculdades particulares do Recife e Região Metropolitana. 

Falta de políticas públicas

De acordo com o professor de direito da Universidade Católica de Pernambuco (Unicap), Jayme Benvenuto, apesar do maior equilíbrio, ainda faltam políticas públicas para facilitar ainda mais a entrada de negros e indígenas nas universidades. "A constituição brasileira fez 30 anos em 2018, ou seja, é o tempo de maturação dessas políticas, que faz com que se tenham mais negros e indígenas nas faculdades", analisou.

 

Dificuldade para se manter

Além da difícil tarefa de ingressar em uma faculdade, o empecilho pode ser ainda mais árduo para se manter nela. "Não é só garantir que a população negra entre na universidade. É necessário garantir a permanência dessas pessoas, porque muitos não conseguem se manter, devido aos custos de passagens e alimentação no dia a dia", disse José Victor, estudante de direito.

Vagas para negros

Pensando nessa necessidade, a Unicap ampliou o sistema de vagas para negros e índios, com o objetivo de incentivar a igualdade racial no meio acadêmico. No mês de agosto deste ano, a instituição ofereceu 200 bolsas integrais para alunos negros e indígenas

COMENTÁRIOS

Os comentários abaixo são de responsabilidade dos respectivos perfis do facebook.