ADEUS

Dor e comoção: avó e neta vítimas do deslizamento são enterradas no Recife

A barreira deslizou na madrugada da terça-feira (24) e deixou 7 mortos

Dor e comoção: avó e neta vítimas do deslizamento são enterradas no Recife

Familiares e amigos estavam muito abalados no momento da despedida - Foto: Felipe Ribeiro/ JC Imagem

Mais duas vítimas do deslizamento de barreira que deixou sete mortos na Rua Bela Vista, no Córrego do Morcego, em Dois Unidos, Zona Norte do Recife na madrugada da véspera de natal, foram enterradas nessa quarta-feira (25). Sob forte comoção e saudade, amigos e parentes deram o último adeus no Cemitério de Santo Amaro, área central do Recife, a avó Lucimar Alves, de 50 anos e a sua neta, Daffyne Kauane Alves, de 9 anos.

Segundo o esposo e avô das vítimas, Otoniel Simião, relembrou os momentos que antecederam o deslizamento. "Eu lembro que fui me deitar perto da meia-noite. Houve um tumulto muito grande no momento em que a barreira deslizou, como se tivesse um avião caindo em cima da nossa casa", contou. "Eu não pude socorrê-la (Lucimar) porque tinha muito barro em cima de mim. Quando começaram a cavar e me encontraram, eu disse: "tem gente aqui". Conseguiram me resgatar, e eu continuei a dizer: "ela está aqui", mas no momento eu estava muito debilitado", disse emocionado. Ele foi socorrido para a Unidade de Pronto Atendimento (UPA) de Nova Descoberta, também na Zona Norte do Recife.

Ainda segundo o viúvo, Lucimar era uma pessoa 'nota 10'. Já a esposa do avô de Daffyne, Jacira Melo, definiu a jovem como uma menina "muito alegre, brincalhona e estudiosa". A mãe de Daffyne ficou bastante abalada com a perda da filha e não foi ao enterro.

>>>Corpos da mãe e bebê vítimas do deslizamento são enterrados no mesmo túmulo, no Recife

Pedido à justiça

Durante o enterro, o viúvo de Lucimar pediu por justiça. Na ocasião, ele tambpem afirmou que a família não temia que um deslizamento acontecesse porque a casa ficava distante parede e no local tinha três muros de arrimo.

"Eu quero que tenha justiça porque ali era uma área de risco. Do jeito que aconteceu com a minha família, vai acontecer com outras. Se tinha um cano estourado, não tinha que colocar lona por cima. Tinha que consertar o cano e não o fizeram. Colocaram a lona por cima", relatou.

Tragédia

A tragédia que aconteceu na madrugada da Véspera de Natal deixou sete pessoas mortas. As duas últimas vítimas fatais foram encontradas às 11h30 dessa terça-feira (24). As vítimas fatais foram identificadas como: Emanuel Henrique de França, de 25 anos, Érica Virgínia, 19, Érick Júnior, dois meses, Lucimar Alves, 50, Daffyne Kauane Alves, 9, Claudia Bezerra, 47, e Lia de Oliveira, 45.

COMENTÁRIOS

Os comentários abaixo são de responsabilidade dos respectivos perfis do facebook.