DENúNCIA

Pessoas denunciam uso de CPF em golpes para saque do auxílio emergencial

Advogado especialista em direito previdenciário explica como proceder em casos de contas movimentadas sem conhecimento do titular

Pessoas denunciam uso de CPF em golpes para saque do auxílio emergencial

Aplicativo Caixa Tem - Foto: Marcello Casal Jr./ABr

O auxílio emergencial dado pelo governo federal para ajudar trabalhadores afetados pela pandemia do novo coronavírus tem sido alvo de diversos golpes. O veterinário Estevão dos Santos, que nunca procurou o benefício, se surpreendeu, na sexta-feira (5), ao descobrir que teve o número do CPF utilizado para cadastro no programa.

“Minha esposa me acordou dizendo que, conversando com uma amiga dela do trabalho, a amiga tinha dito que havia tido uma tentativa de cadastro do CPF dela. Como ela era funcionária pública, não conseguiram. Mas ela estava aconselhando, a todas as amigas, que olhassem o seus CPFs. Então, minha esposa olhou o CPF dela e não tinha nada, mas quando olhou o meu, essa surpresa“, contou.

Ao baixar o aplicativo Caixa Tem e consultar a movimentação, o veterinário percebeu que o recurso já havia sido sacado.

“O dinheiro foi depositado numa conta que o governo criou no dia 21 de maio. Eu não tenho conta na Caixa. E foi retirado agora dia 2 de junho. Eu não entendo como se pode cadastrar um CPF estranho dessa forma tão fácil.”

Outra vítima de golpe envolvendo o auxílio emergencial é a advogada Glaucilane do Carmo. Beneficiária, ela estava aguardando a segunda parcela do recurso. Ela afirma que, consultando a conta Caixa Tem no fim do mês de maio, verificou que o dinheiro já estava lá. Porém, o saque só estaria autorizado a partir da última quinta-feira (4). Na sexta, ao tentar realizar a transação, percebeu que a quantia não estava mais na conta.

“Assim que eu vi, no aplicativo da Caixa Tem, eu verifiquei que lá tinha um saldo negativo. E aí me chamou a atenção como se eu não havia feito a transferência. Aí eu puxei o extrato pelo aplicativo e verifiquei que tinha duas contas.” 

O advogado especialista em direito previdenciário Almir Reis orienta sobre como proceder nos casos em que a conta Caixa Tem for movimentada sem conhecimento do titular.

“A nossa recomendação é abrir um boletim de ocorrência imediatamente junto à Polícia Civil, Polícia Federal, já que envolve valores custeados por uma empresa pública federal, e imediatamente entre em contato com a Caixa Econômica Federal, pelos canais de ouvidoria e reclamação, para conseguir localizar quem fez esse saque e impedir que esse crime continue a ocorrer.”   

Durante a pandemia, é recomendável que as queixas sejam feitas pelos canais remotos. Na internet, estão disponíveis os sites servicos.sds.pe.gov.br/delegacia, para boletim de ocorrência, e sistema.ouvidorias.gov.br, para denúncia à controladoria geral da união. Por telefone, é possível acionar o Ministério da Cidadania, por meio do número 135.

Ouça a reportagem de Betânia Ribeiro:

COMENTÁRIOS

Os comentários abaixo são de responsabilidade dos respectivos perfis do facebook.