ENTREVISTA

Infectologista responde como algumas pessoas possuem defesa contra o novo coronavírus mesmo sem terem sido infectadas

Um estudo na Alemanha investiga a possível imunidade para o novo coronavírus

Infectologista responde como algumas pessoas possuem defesa contra o novo coronavírus mesmo sem terem sido infectadas

Mundo vive pandemia do novo coronavírus - Foto: Reprodução/TV Jornal Interior

Com informações do Por Dentro com Cardinot

Após um estudo na Alemanha divulgar que investiga o fato de que algumas pessoas têm anticorpos para defesa do novo coronavírus mesmo sem ter sido infectado pela doença, o Por Dentro com Cardinot entrevistou o infectologista, Evônio Campelo, nesta sexta-feira (31), para explicar como algumas pessoas apresentam uma certa imunidade ao coronavírus. O estudo foi publicado pela revista científica "Nature’’.

‘’Esse estudo na Alemanha foi publicado e foi feito com pacientes que não tiveram contato com o novo coronavírus, mas já sabemos que existe o coronavírus há anos, em vários localidades do mundo. Provavelmente, o que essas pessoas tiveram era outro tipo de coronavírus. Existe uma imunidade cruzada, ou seja, adquiriu o vírus da mesma família e aí você teria uma resposta para o novo coronavírus’’, explicou o médico infectologista.

De acordo com a publicação alemã, as células T – ou linfócitos T –  tem como principal objetivo identificar e matar patógenos ou células infectadas através do uso de proteínas em sua superfície que se contectam com a proteínas na superfície do vírus invasor.

‘’É muito importa que as pessoas fiquem atentas, pois apesar de não ter a doença, se ela entrar em contato, pode fazer para outras pessoas que não tiveram o novo coronavírus. É muito importante que as pesquisas não parem, para que a gente se prepara para outras doenças que possam acometer no futuro’’, completou o infectologista Evônio Campelo. 

O que é coronavírus?

Coronavírus é uma família de vírus que causam infecções respiratórias. O novo agente do coronavírus foi descoberto em 31/12/19 após casos registrados na China.Os primeiros coronavírus humanos foram isolados pela primeira vez em 1937. No entanto, foi em 1965 que o vírus foi descrito como coronavírus, em decorrência do perfil na microscopia, parecendo uma coroa.

A maioria das pessoas se infecta com os coronavírus comuns ao longo da vida, sendo as crianças pequenas mais propensas a se infectarem com o tipo mais comum do vírus. Os coronavírus mais comuns que infectam humanos são o alpha coronavírus 229E e NL63 e beta coronavírus OC43, HKU1.

Como prevenir o coronavírus?

O Ministério da Saúde orienta cuidados básicos para reduzir o risco geral de contrair ou transmitir infecções respiratórias agudas, incluindo o coronavírus. Entre as medidas estão:

  • Lavar as mãos frequentemente com água e sabonete por pelo menos 20 segundos, respeitando os 5 momentos de higienização.
  • Se não houver água e sabonete, usar um desinfetante para as mãos à base de álcool.
  • Evitar tocar nos olhos, nariz e boca com as mãos não lavadas.
  • Evitar contato próximo com pessoas doentes.
  • Ficar em casa quando estiver doente.
  • Cobrir boca e nariz ao tossir ou espirrar com um lenço de papel e jogar no lixo.
  • Limpar e desinfetar objetos e superfícies tocados com frequência.
  • Profissionais de saúde devem utilizar medidas de precaução padrão, de contato e de gotículas (máscara cirúrgica, luvas, avental não estéril e óculos de proteção).
  • Para a realização de procedimentos que gerem aerossolização de secreções respiratórias como intubação, aspiração de vias aéreas ou indução de escarro, deverá ser utilizado precaução por aerossóis, com uso de máscara N95.

COMENTÁRIOS

Os comentários abaixo são de responsabilidade dos respectivos perfis do facebook.