PESQUISA

Taxa de desemprego segue crescendo em Pernambuco, aponta estudo do IBGE

De acordo com a pesquisa do IBGE, 490 mil pessoas tentaram conseguir um emprego no mês passado, mas não conseguiram

Taxa de desemprego segue crescendo em Pernambuco, aponta estudo do IBGE

Desempregados aguardando atendimento em frente à Agência do Trabalho do Recife - Foto: Reprodução/TV Jornal

Com informações do IBGE

Se os números do novo coronavírus em Pernambuco caíram, em comparação ao mês de maio, considerado o pico da pandemia, a taxa de desemprego aumentou, passando para 13,5% em julho, contra 12,6% em junho e 10,5% em maio. Pelo menos, é o que aponta a pesquisa divulgada pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE). De acordo com a pesquisa, 490 mil pessoas buscaram um emprego no mês passado, mas não encontraram. 

>>Pernambuco é o Estado que menos realizou testes para detectar o coronavírus na população, aponta IBGE

Os números do IBGE mostram também que cerca de 1,2 milhão de pessoas que, não estavam trabalhando e nem procuravam por trabalho em Pernambuco, gostariam de trabalhar em julho, mas não conseguiram procurar emprego por causa da pandemia do novo coronavírus ou por falta de oportunidade. O número de pessoas ocupadas no Estado caiu de 3 milhões e 264 mil para 3 milhões e 153 mil

Pessoas afastadas

Entre as pessoas ocupadas e afastadas do trabalho, seja ou não por conta da pandemia do coronavírus, 169 mil pessoas (37,3%) deixaram de receber remuneração em julho. Entre os trabalhadores ocupados e afastados que ainda estavam recebendo vencimentos, 30,9% do total tiveram rendimentos menores do que o habitual no mês passado.

 A quantidade de pessoas afastadas do trabalho (em quarentena ou férias coletivas) devido ao distanciamento social também diminuiu sensivelmente, de 666 mil pessoas para 313 mil, uma queda de 53% entre junho e julho. Em maio, por sua vez, eram 940 mil pessoas afastadas. Em julho, 9,9% das mais de 3,1 milhões de pessoas ocupadas em Pernambuco estava afastada de suas atividades profissionais, contra 20,4% no mês anterior. Ainda segundo a pesquisa, 10,7% da população ocupada no estado trabalhou de forma remota no mês passado.

COMENTÁRIOS

Os comentários abaixo são de responsabilidade dos respectivos perfis do facebook.