TRABALHADOR

Proposta acrescenta tempo ao seguro-desemprego em calamidade pública

Atualmente, o seguro-desemprego pode ser pago em três a cinco parcelas mensais

Proposta acrescenta tempo ao seguro-desemprego em calamidade pública

O Projeto de Lei 3674/20 acrescenta uma parcela de seguro-desemprego durante estado de calamidade pública - Foto: Marcello Casal Jr./Agência Brasil

Agência Câmara de Notícias

O Projeto de Lei 3674/20 acrescenta uma parcela de seguro-desemprego durante estado de calamidade pública. A proposta, do deputado Felipe Carreras (PSB-PE), altera a lei do benefício e tramita na Câmara dos Deputados.

 

Atualmente, o seguro-desemprego pode ser pago em três a cinco parcelas mensais, dependendo do tempo que o trabalhador permaneceu no emprego.

Carreras afirmou que o benefício garante ao trabalhador buscar “sem a faca no pescoço” uma nova colocação profissional. “Em casos de estado de calamidade, a concessão de mais um mês de auxílio permite um alento importante aos trabalhadores do Brasil.”

 

>> Seguro-desemprego já pode ser recebido em conta

>> Covid-19: Programa de redução de salários e jornada é prorrogado

>> Medida que permite redução de jornada e salários é aprovada na Câmara

>> Senado aprova medida provisória do aumento do salário mínimo

>> Agências do Trabalho vão reabrir para atendimento de seguro-desemprego

 

Calamidade pública e desemprego

O Congresso Nacional reconheceu estado de calamidade pública no País até dezembro, devido à pandemia da Covid-19.

Segundo o Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE), a taxa de desocupação no Brasil subiu 1,2 ponto percentual e ficou em 12,9% no trimestre encerrado em maio último.

Pela primeira vez na série histórica, iniciada em 2012, a parcela de ocupados (49,5%) foi menor do que a de desocupados, entre as pessoas em idade de trabalhar.

>> Senado aprova decreto de calamidade pública no Brasil por causa do coronavírus

>> Coronavírus: Câmara aprova decreto de calamidade pública; entenda

COMENTÁRIOS

Os comentários abaixo são de responsabilidade dos respectivos perfis do facebook.