PROTESTO

Profissionais de educação de PE irão paralisar atividades, em 18 de novembro, para reivindicar mudança no piso salarial

A categoria afirmou que vai ''denunciar a falta de vontade política do Governo de Pernambuco em cumprir o Piso Salarial do Magistério''

Profissionais de educação de PE irão paralisar atividades, em 18 de novembro, para reivindicar mudança no piso salarial

Sintepe-PE afirmou que a categoria irá paralisar as atividades no dia 18 de novembro e reivindicar mudança no piso salarial - Foto: Sintepe/Divulgação

O Sindicato dos Trabalhadores em Educação do Estado de Pernambuco (Sintepe-PE) afirmou que a categoria irá paralisar as atividades, no dia 18 de novembro, e realizar um protesto em frente ao Palácio do Campo das Princesas, a partir das 9h, para reivindicar mudança no piso salarial dos profissionais de educação. De acordo com Sintepe-PE, a categoria vai ''denunciar a falta de vontade política do Governo do Estado em cumprir o Piso Salarial do Magistério''. 

Nota do Sintepe na íntegra

A Assembleia Geral do Sintepe desta quarta-feira, 11 de novembro, aprovou a realização de uma Paralisação da Categoria em 18 de novembro, com protesto em frente ao Palácio do Campo das Princesas, a partir das 9h, para reivindicar a atualização do Piso Salarial do Magistério com repercussão em toda a carreira da Educação.

O Sintepe vai realizar uma campanha nas mídias sociais e convencionais para denunciar a falta de vontade política do Governo do Estado em cumprir o Piso Salarial do Magistério.

Os argumentos utilizados pelo governo não consideram que a Lei 173/2020 exclui as leis aprovadas anteriormente, entre elas, a lei do Piso do Magistério e a lei do Plano de Cargo e Carreira. O Plano de Cargo e Carreira foi uma conquista de muitas lutas e não pode ser destruído por falta de compromisso de um governo com a valorização dos trabalhadores em educação, que são responsáveis pela qualidade da educação em Pernambuco e se reinventaram nesta pandemia com seu próprio salário para garantir o direito à educação.

A categoria discorda da proposta do Governo do Estado de realizar as férias escolares entre 18 de janeiro e 17 de fevereiro de 2021. O tema continuará sendo debatido entre a Comissão de Negociação e o Governo.

O retorno às atividades e aulas presenciais tem causado muita apreensão e infecções de professores e estudantes pelo coronavírus. O Sintepe vai continuar fiscalizando escolas e monitorando as ocorrências. O Sindicato já fez duas denúncias à imprensa e vai continuar fazendo o que for necessário para defender a vida de toda a comunidade escolar.

A próxima Assembleia será no dia 20 de novembro para avaliar as negociações e as atividades. A luta vai continuar!

A DIREÇÃO DO SINTEPE

COMENTÁRIOS

Os comentários abaixo são de responsabilidade dos respectivos perfis do facebook.