AUXÍLIO EMERGENCIAL

Petição pede extensão do auxílio emergencial até o fim da pandemia; veja como assinar

ONG quer reunir número máximo de assinaturas e levar projeto para a Câmara dos Deputados


Petição pede extensão do auxílio emergencial até o fim da pandemia; veja como assinar

A ONG esteve presente na campanha de realização do auxílio emergencial de R$600,00 para as famílias de baixa renda do país, durante a pandemia. - Foto: Marcello Casal Jr./ABr

Tendo em vista o período difícil causado pela crise econômica no país, a presença do coronavírus e a dificuldade enfrentada por muitas famílias para colocar comida na mesa, a Organização Não Governamental (ONG) NOSSAS abriu uma petição para conseguir estender o auxílio emergencial até o fim da pandemia. 

>>>Prorrogação do auxílio emergencial: Veja o que dizem os novos presidentes do Senado e da Câmara dos Deputados

Como a prorrogação do benefício ainda é uma questão em aberto, a ONG tem o propósito de reunir o maios número possível de assinaturas e entregar a petição ao novo presidente da Câmara dos Deputados, Arthur Lira, para que o mesmo escolha o projeto de extensão do auxílio e este seja votado. 

"O novo presidente da Câmara dos Deputados, Arthur Lira, foi eleito ontem e é ele quem tem o poder nas mãos de escolher os projetos que serão votados. Precisamos enviar nosso recado para ele: queremos o auxílio emergencial de R$ 600 até o fim da pandemia para garantir a vida de milhões de famílias brasileiras!", diz nota da ONG. 

A ONG esteve presente na campanha de realização do auxílio emergencial de R$600,00 para as famílias de baixa renda do país, durante a pandemia. Ao todo, reuniram mais de 500 mil assinaturas e enviaram a petição aos deputados e senadores e a proposta foi aprovada.

Presidente da Câmara

O deputado Arthur Lira (PP-AL), novo presidente da Câmara dos Deputados, admitiu em entrevista coletiva, no último dia 18, que o governo federal poderá pagar mais alguns meses de auxílio emergencial, a depender da aprovação do Orçamento para 2021 e do valor e do número de parcelas do benefício.

“Penso que, com Orçamento [aprovado], dependendo do valor e do prazo [do benefício] e respeitando o teto de gastos, tenhamos possibilidade de fazer um auxílio, até que se vote um novo programa permanente [de renda mínima, como o Bolsa Família]”, disse Lira.

O líder do PP destacou ainda que a criação de um novo programa inclusivo deverá ficar condicionada à aprovação, pelo Congresso, da chamada PEC Emergencial, que propõe a redução dos gastos públicos por meio de medidas como a redução do salário de servidores, a suspensão de concursos e até o fim de municípios que não puderem se sustentar financeiramente.

"Para criar um programa novo, para institucionalizar um programa inclusivo, nós temos de discutir e aprovar a PEC emergencial, para que a gente reduza despesas e faça um orçamento mais flexível e, na sequência, vote as reformas administrativa e tributária”, afirmou.

>> "Auxílio emergencial deve ajudar economia até meados de fevereiro", diz Guedes

>> Após auxílio emergencial, Bolsa Família pode atender mais pessoas

>> Auxílio emergencial: Governo fala sobre possibilidade de mais pagamentos

>> Projeto prevê auxílio permanente de R$ 1.200 para mães chefes de família

Coletivo Nossas

O NOSSAS é uma rede de ativismo que organiza pessoas, desenvolve metodologias e tecnologias de mobilização. São independentes e apartidários e lutam por um país mais justo e democrático. 

Como assinar? 

Para assinar o documento, basta preencher o formulário, que pede nome, sobrenome, e-mail e estado. A Petição está disponível neste link. 

COMENTÁRIOS

Os comentários abaixo são de responsabilidade dos respectivos perfis do facebook.