FUNGO NEGRO

Fungo preto: A infecção já está no Brasil? Há relação entre a mucormicose e a covid-19? Como é feito o tratamento da infecção? confira respostas

A mucormicose, chamada de "fungo preto" ou "fugo negro", é uma infecção muito rara.


Fungo preto: A infecção já está no Brasil? Há relação entre a mucormicose e a covid-19? Como é feito o tratamento da infecção? confira respostas

A mucormicose, também conhecida como 'fungo preto', já acometeu quase nove mil pessoas na Índia - Foto: Shutterstock

Em meio à pandemia causada pela covid-19 desde o ano passado, um raro fungo vem preocupando as autoridades de saúde. Na última semana de maio de 2021, a Índia registrou cerca de 9.000 casos de mucormicose, doença também chamada de “fungo negro” ou “fungo preto” que tem um alto índice de letalidade nos pacientes sintomáticos.

>>>Fungo preto: O que é a mucormicose? Quais os sintomas? Como ocorre o contágio? Veja respostas sobre a infecção rara

No país indiano, alguns pacientes só foram salvos após uma cirurgia de remoção de um de seus olhos. A taxa de mortalidade entre os infectados é de 50%, de acordo com informações da BBC News. Milhares de casos foram registrados entre pacientes que se recuperaram de covid-19 ou que estavam em processo de recuperação. Portanto, existe uma relação entre a doença e a pandemia de coronavírus.
Os médicos afirmam que a relação está nos esteroides usados para tratar a doença. Diabéticos correm risco maior de sofrer de mucormicose.

Em entrevista ao portal IG Saúde, o médico clínico geral Lucas Bifano, que atuou na linha de frente do combate à covid-19, respondeu alguns questionamentos sobre a aparição desse novo fungo. Confira as respostas do especialista abaixo. 

O que é mucormicose?

"Mucormicose é uma infecção não transmissível causada por diversos tipos de fungos da ordem Mucorales. A doença é também chamada de "fungo negro" e possui difícil diagnóstico. Em contato com pele e mucosas, geralmente produz lesões necróticas no nariz e palato (céu da boca). Esses sinais em geral são seguidos de secreção purulenta nasal, febre e sinais inflamatórios na região dos olhos (dor, inchaço e vermelhidão). Também pode evoluir para sintomas do sistema nervoso central e para sintomas pulmonares. No caso de infecção pulmonar, produz tosse com secreção, febre alta e falta de ar. Em pacientes com imunidade comprometida, a infecção pode se disseminar mais facilmente".

A infecção por fungos ocorre no Brasil?

"Os casos no Brasil são raros. Na verdade, o fungo está presente em praticamente todos os países do mundo, mas dificilmente causa complicações. No entanto, deve-se considerar que, em ambientes de UTI, o paciente está mais sujeito a infecções fúngicas".

Quem é mais vulnerável a mucormicose?

"Pacientes com imunidade comprometida, diabéticos e pacientes internados em UTI. Costumamos ver casos de mucormicose em pacientes de câncer de pele, ou mesmo de outros tipos de câncer, que passaram por quimioterapia e, com isso, se encontram com o sistema imunológico debilitado. Também estão mais sujeitos ao contágio pacientes que fazem uso de medicamentos imunossupressores como corticoides e pacientes transplantados."

Como é feito o tratamento?

"O tratamento é feito através de medicamentos antifúngicos controlados e remoção cirúrgica dos tecidos necrosados. É um tratamento complexo e de alto custo."

Há relação entre mucormicose e a Covid-19?

"Foram registrados alguns casos de infecção por mucormicose em pacientes de Covid-19. No entanto, é muito cedo para afirmar que há uma relação direta entre as doenças, lembrando que, como mencionado acima, pacientes com imunidade comprometida e internados em UTI estão mais sujeitos a infecções fúngicas de qualquer tipo. Trata-se exatamente do perfil de paciente grave da Covid-19."

COMENTÁRIOS

Os comentários abaixo são de responsabilidade dos respectivos perfis do facebook.