SAúDE

Novos casos de sarampo são registrados; saiba como identificar e tratar a doença

A Secretaria Estadual de Saúde de Pernambuco (SES-PE) confirmou mais quatro casos de sarampo

Novos casos de sarampo são registrados; saiba como identificar e tratar a doença

Caso obtenhas os sintoma, é necessário procurar um posto de saúde mais próximo. - Foto: Ricardo B. Labastier/Arquivo JC Imagem

A Secretaria Estadual de Saúde de Pernambuco (SES-PE) atualizou os números no Estado e confirmou mais quatro casos de sarampo, na quinta-feira (15). De acordo com a nota oficial, as ocorrências estão ligadas à três viajantes que participaram de uma excursão para Porto Seguro, entre o final de junho e início de julho, e mais uma pessoa desse grupo. Dois moram no Recife e outras duas pessoas são de Caruaru. Ao todo, 9 casos relacionados a essa excursão de Porto Seguro foram notificados, a partir do dia 25 de julho de 2019.

Ao todo, 182 pernambucanos participaram da excursão, e a análise para verificar outros casos estão sendo feitos pela Vigilância Epidemiológica dos Municípios dos Viajantes, SES-PE e da Gerências Regionais de Saúde (Geres), com o objetivo de evitar a circulação viral do sarampo.

Cuidados

No Brasil, os Estados com casos são: Rio de Janeiro, São Paulo, Pará, Sergipe, Minas Gerais, Santa Catarina, Amazonas e Roraima. É importante ir ao posto de saúde mais próximo, caso a pessoa que possa estar com suspeita da doença tenha viajado para esses locais, nos últimos 30 dias, ou de contato, no mesmo período, com alguém que viajou.

Como identificar a doença

Todo paciente que apresentar febre e exantema e manchas avermelhadas que começam na cabeça e vão descendo para o restante do corpo, seguido de tosse e/ou coriza e/ou conjuntivite, independentemente da idade e situação vacinal. Até o momento, mais de 1,2 mil doses da vacina aplicadas e deve ser feito de forma seletiva, conforme a situação de cada contato, na faixa etária de 6 meses a 49 anos. Acima dessa idade, se avalia a necessidade da imunizar a pessoa.

Imunização

A vacina tríplice viral protege contra sarampo, rubéola e caxumba e, de acordo com a Secretaria Estadual de Saúde (SES-PE) está disponível nas salas de vacina dos municípios. ressalta a importância de finalizar o esquema vacinal para evitar casos da doença. A imunização com a tríplice deve seguir o seguinte esquema:

- Indivíduos de 12 meses a 29 anos de idade: 2 doses de tríplice viral com intervalo mínimo de 30 dias entre elas;

- Indivíduos de 30 a 49 anos de idade não vacinados: 1 dose de tríplice viral;

- Profissionais de saúde não vacinados: 2 doses com a vacina tríplice viral independente da idade, com intervalo mínimo de 30 dias entre elas.

COMENTÁRIOS

Os comentários abaixo são de responsabilidade dos respectivos perfis do facebook.