CORONAVOUCHER

Presidente da Caixa aguarda aprovação de Jair Bolsonaro para anunciar mudanças na 2ª parcela do auxílio de R$ 600

Desde o dia 9 de abril, 50 milhões de brasileiros já receberam o crédito do benefício

Presidente da Caixa aguarda aprovação de Jair Bolsonaro para anunciar mudanças na 2ª parcela do auxílio de R$ 600

Mesmo com a pandemia do coronavírus, agências da Caixa Econômica vivem lotadas por causa do auxílio emergencial - Foto: Reprodução/TV Jornal

A Caixa Econômica Federal pode mudar o pagamento da 2ª parcela do auxílio de R$ 600, com o objetivo é reduzir filas e aglomerações nas agências bancárias. O calendário de pagamento deve ser dividido entre beneficiários do bolsa família e trabalhadores que não tenham conta em banco. O presidente da Caixa, Pedro Guimarães, disse em coletiva de imprensa que deve fazer o anúncio das modificações ainda nesta semana.

>>>Ambulante passa oito horas na fila por causa do auxílio de R$ 600 e recebe doações para alimentar família<<<

>>>Ministro da Cidadania justifica demora na análise do auxílio de R$ 600<<<

Ainda de acordo com o presidente da Caixa, após a aprovação do ministro Paulo Guedes, ele e o ministro da Cidadania, Onyx Lorenzoni, vão levar o conograma finalizado para o presidente da República Jair Bolsonaro, que é quem organiza.

Calendário de pagamento 

  • Inscritos através do aplicativo ou do site do programa;
  • Beneficiários que recebem o Bolsa Família;
  • Inscritos feitas no Cadastro Único que não recebem o Bolsa Família e mulheres chefes de família.

Aplicativo para saque do auxílio 

O saque do auxílio emergencial de R$ 600, disponibilizado pelo Governo Federal para ajudar durante a crise gerada pelo novo coronavírus (covid-19).

Para acessar a funcionalidade do saque dos 600 reais, sem cartão, a Caixa Econômica Federal liberou uma nova versão do aplicativo CAIXA Tem. A atualização já está disponível para download.

Como prevenir o coronavírus?

O Ministério da Saúde orienta cuidados básicos para reduzir o risco geral de contrair ou transmitir infecções respiratórias agudas, incluindo o coronavírus. Entre as medidas estão:

  • Lavar as mãos frequentemente com água e sabonete por pelo menos 20 segundos, respeitando os 5 momentos de higienização.
  • Se não houver água e sabonete, usar um desinfetante para as mãos à base de álcool.
  • Evitar tocar nos olhos, nariz e boca com as mãos não lavadas.
  • Evitar contato próximo com pessoas doentes.
  • Ficar em casa quando estiver doente.
  • Cobrir boca e nariz ao tossir ou espirrar com um lenço de papel e jogar no lixo.
  • Limpar e desinfetar objetos e superfícies tocados com freqüência.
  • Profissionais de saúde devem utilizar medidas de precaução padrão, de contato e de gotículas (máscara cirúrgica, luvas, avental não estéril e óculos de proteção).
  • Para a realização de procedimentos que gerem aerossolização de secreções respiratórias como intubação, aspiração de vias aéreas ou indução de escarro, deverá ser utilizado precaução por aerossóis, com uso de máscara N95.

COMENTÁRIOS

Os comentários abaixo são de responsabilidade dos respectivos perfis do facebook.