CORONAVíRUS

Líderes do Senado assinam manifesto em favor do isolamento social por conta do coronavírus

O manifesto foi assinado nesta segunda-feira (30)

Líderes do Senado assinam manifesto em favor do isolamento social por conta do coronavírus

O documento foi proposto pelo próprio líder do governo no Senado, Fernando Bezerra - Foto: Reprodução/Google Street View

Nesta segunda-feira (30), os líderes do Senado Federal, ficaram na contramão de declarações do presidente Jair Bolsonaro, e assinaram um manifesto em favor do isolamento social para minimizar os efeitos da pandemia do novo coronavírus. 

De acordo com informações do UOL, o documento foi proposto pelo próprio líder do governo no Senado, Fernando Bezerra Coelho (MDB-PE), e recebeu a aprovação de todos os demais líderes em reunião nesta segunda.

A confirmação foi do vice-presidente da Casa, senador Antonio Anastasia (PSD-MG). Ele comanda o Senado enquanto o presidente, Davi Alcolumbre (DEM-AP), se recupera da infecção pelo coronavírus.

Manifesto

No manifesto, intitulado "Pelo Isolamento Social", os senadores declararam a importância de, quem puder, não sair de casa a fim de não transmitir o coronavírus. 

“Somente o isolamento social, mantidas as atividades essenciais, poderá promover o ‘achatamento da curva’ de contágio, possibilitando que a estrutura de saúde possa atender ao maior número possível de enfermos, salvando assim milhões de vida, conforme apontam os estudos sobre o tema”, afirmaram os líderes no documento. O Senado Federal se manifesta de acordo com as recomendações da Organização Mundial de Saúde e apoia o isolamento social no Brasil, ao mesmo tempo em que pede ao povo que cumpra as medidas ficando em casa”, ressaltou o manifesto.

Além disso, os senadores disseram ainda que cabe ao Estado "apoiar as pessoas vulneráveis, os empreendedores e outros segmentos que possam atingidos economicamente pelos efeitos do isolamento social".

Nota oficial

*Pelo isolamento social *

A pandemia do coronavírus impõe a todos os povos e nações um profundo desafio no seu enfrentamento.

A experiência dos países que estão em estágios mais avançados de disseminação da doença deixa claro que, diante da inexistência de vacina ou de tratamento médico plenamente comprovado, a medida mais eficaz de minimização dos efeitos da pandemia é o isolamento social.

Somente o isolamento social, mantidas as atividades essenciais, poderá promover o “achatamento da curva” de contágio, possibilitando que a estrutura de saúde possa atender ao maior número possível de enfermos, salvando assim milhões de vida, conforme apontam os estudos sobre o tema.

Ao Estado cabe apoiar as pessoas vulneráveis, os empreendedores e segmentos sociais que serão atingidos economicamente pelos efeitos do isolamento.

Diante do exposto, o Senado Federal se manifesta de acordo com as recomendações da Organização Mundial de Saúde e apoia o isolamento social no Brasil, ao mesmo tempo em que pede ao povo que cumpra as medidas ficando em casa.

COMENTÁRIOS

Os comentários abaixo são de responsabilidade dos respectivos perfis do facebook.