EDUCAçãO

Professores da rede estadual de Pernambuco decretam greve e definem data para nova assembleia

A opção pela greve foi decidida em assembleia realizada em videoconferência entre os professores e Sindicato dos Trabalhadores em Educação de Pernambuco

Professores da rede estadual de Pernambuco decretam greve e definem data para nova assembleia

As aulas presenciais estão liberadas a partir do 06 de outubro - Foto: ELÔ ARAÚJO/SISTEMA GOLFINHO/DIVULGAÇÃO

Os professores da rede estadual de Pernambuco decidiram entre em greve, por conta da decisão do Governo de Pernambuco em permitir o retorno das aulas presenciais, inciando com os estudantes do ensino médio. Em assembleia realizada por meio de videoconferência, o Sindicato dos Trabalhadores em Educação de Pernambuco (Sintepe) e mais de 1.500 professores e trabalhadores da rede estadual de ensino optaram por decretar a greve (antes, era estado de greve). A categoria informou ao JC Online que vai se reunir novamente com o governo estadual, na próxima sexta-feira (02), e realizar nova assembleia no dia 5 de outubro, um dia antes do inicio das aulas, para decidir se a greve vai continuar.

>>Contrários ao retorno das aulas, professores da rede privada de Pernambuco decretam estado de greve

Cronograma das aulas presenciais

O retorno das aulas presenciais para o ensino básico está marcado para o dia 06 de outubro, começando com os estudantes que estão no 3º ano do ensino médio. Em seguida, será a vez do 2º ano, no dia 12 de outubro, e 1º ano, no dia 20 de outubro. A retomada é opcional, ou seja, os pais decidem se vão deixar seus filhos, menores de idade, retornarem às aulas presenciais.

Diante da greve dos professores da rede pública, por serem contrário ao retorno das aulas presenciais no momento, ainda não se sabe se o cronograma revelado pela Secretária de Educação será cumprido e às aulas, de fato, irão retornar. De acordo com Séphora Freitas, o Sintepe espera ter novas reuniões com o Governo de Pernambuco para decidir a melhor maneira dos estudantes retornaram para a escola. 

‘’A comissão de negociação disse que está disponível para a gente continuar a conversa, sempre com cautela, pelos cuidados necessário para a volta às aulas. A gente (Sintepe) defende a educação pública de qualidade. Sabemos dos ricos para os estudantes fora das escolas, mas em primeiro lugar sempre foi a defesa da vida. A gente quer voltar, mas com absoluta segurança’’, completou Séphora. 

Protocolo contra o coronavírus

  • Reduzir a ocupação das salas de aula;
  • adotar revezamento de turmas, se necessário.

Distanciamento social

  • Manter, pelo menos, 1,5 m (um metro e meio) de distância entre os estudantes, trabalhadores em educação e colaboradores, em todos os ambientes do estabelecimento de ensino;
  • estabelecer o número de estudantes por turma, observando rigorosamente as normas de distanciamento, 1,5m (um metro e meio) entre as bancas escolares, reduzindo a quantidade de estudantes, se necessário;
  • promover diferentes intervalos de entrada, saída e alimentação entre as turmas, com o objetivo de evitar aglomerações.

Prevenção/proteção

  • Utilizar a máscara de forma obrigatória e contínua, por todas as dependências do estabelecimento de ensino, devendo ser observadas as orientações específicas quando se tratar de crianças até dois anos de idade;
  • disponibilizar, para uso dos estudantes, trabalhadores em educação e colaboradores local para lavagem frequente das mãos, provido de sabão, toalhas de papel além da disponibilização do álcool 70%, em pontos estratégicos de fácil acesso;
  • higienizar grandes superfícies com os seguintes produtos: hipoclorito de sódio a 0.1%; alvejantes contendo hipoclorito (de sódio, de cálcio) a 0,1%; dicloroisocianurato de sódio (concentração de 1,000 ppm de cloro ativo); iodopovidona (1%); peróxido de hidrogênio 0.5%; ácido peracético 0,5%, quaternários de amônio, por exemplo, o Cloreto de Benzalcônio 0.05%; compostos fenólicos;
  • desinfetantes de uso geral aprovados pela Anvisa, observando as medidas de proteção, em particular o uso de equipamentos de proteção individual (EPI) quando do seu manuseio.

Monitoramento e educação

  • Elaborar cartilha de orientação sobre os cuidados básicos de prevenção do novo coronavírus para disponibilizar pela internet para estudantes, trabalhadores em educação e colaboradores;
  • orientar estudantes, trabalhadores em educação e colaboradores dos estabelecimentos de ensino que apresentarem sintomas gripais, e os seus contatos domiciliares, a acessarem o aplicativo “Atende em Casa” (www.atendeemcasa.pe.gov.br). Durante o acesso, serão orientados sobre como proceder com os cuidados, inclusive sobre a necessidade de procurar um serviço de saúde.

COMENTÁRIOS

Os comentários abaixo são de responsabilidade dos respectivos perfis do facebook.