DINHEIRO

Auxílio emergencial em 2021: valores de R$ 175, R$ 250 e R$ 375 podem aumentar?

O valor do auxílio emergencial em 2021 foi divulgado pelo governo e varia, dependendo do grupo de beneficiários. No entanto, ainda há possibilidade de mudança


Auxílio emergencial em 2021: valores de R$ 175, R$ 250 e R$ 375 podem aumentar?

Para Marcelo Ramos, Câmara manterá auxílio emergencial em R$ 250 - Foto: Marcello Casal Jr./ABr

O vice-presidente da Câmara dos Deputados, Marcelo Ramos (PL-DF), falou sobre o valor do auxílio emergencial em 2021.

O auxílio emergencial ficou estabelecido em R$ 250, para a maioria dos beneficiários, podendo variar também para os valores de R$ 175 e R$ 375.

No entanto, ainda há passos para que o auxílio emergencial seja aprovado neste ano, e há um movimento, tanto a sociedade, como de parlamentares, para aumentar o valor do benefício.

 

>> Auxílio emergencial 2021: mães chefes de família vão receber valor em dobro de novo?

>> Novo auxílio emergencial terá valores de R$ 175, R$ 250 e R$ 375; veja quem recebe quanto e previsão de início

>> Calendário do auxílio emergencial 2021 para beneficiários do Bolsa Família: veja possíveis datas de pagamento em março e abril

 

Vai aumentar?

Segundo o vice-presidente da Câmara, os deputados têm "maturidade fiscal" para manter a parcela padrão do auxílio emergencial em R$ 250, apesar de haver um movimento na Casa para aumentar o valor do benefício, que já foi, no ano passado, de R$ 600. 

"Há maturidade fiscal dentro da Câmara para que a gente enfrente esse debate de uma forma fraterna, transparente, sendo verdadeiro com o povo brasileiro e mantendo o auxílio em quatro parcelas de R$ 250", disse Ramos em entrevista ao SBT News. 

Para o deputado, o valor "encontra o ponto de equilíbrio, porque atende a necessidade emergencial e não compromete o futuro do país do ponto de vista fiscal". "O problema é que desequilibra as contas públicas e no futuro quebra o país. Quando o país quebra, quem paga a conta são justamente os mais pobres", completou. 

 

>> Confira beneficiários, valores, parcelas e previsão de pagamento do auxílio emergencial

>> Veja como será o auxílio emergencial em 2021, após confirmação de Bolsonaro

>> Além do auxílio emergencial, programa de renda que substitua ou amplie o Bolsa Família é discutido

>> Auxílio emergencial pode ser aprovado e começar a ser pago mais rápido

>> Auxílio emergencial no Imposto de Renda: veja se precisa declarar ou devolver, e como fazer

 

PEC Emergencial

A proposta de emenda à Constituição (PEC) Emergencial, que permite a volta do auxílio emergencial, foi aprovada nessa quinta-feira (4), no Senado Federal.

Segundo o presidente da Câmara dos Deputados, Arthur Lira (PP-AL), a votação do projeto na Casa será na semana que vem. Na terça-feira (9), será apreciada a admissibilidade e, se houver acordo, primeiro e segundo turno no dia seguinte.

"(A votação fica) para semana que vem. Não é justo que a PEC saia hoje no Senado e a Câmara tenha que votá-la hoje ou amanhã sem discutir. O Senado levou um tempo maior e os deputados, tendo conhecimento do texto, pelo menos dá para as lideranças e os partidos se posicionarem em relação ao mérito a partir de terça-feira", disse a jornalistas.

Segundo Lira, o objetivo é que a sessão seja destinada apenas à discussão e à votação da admissibilidade. Já o primeiro e segundo turnos seriam na quarta-feira, em uma "possibilidade mínima de acordo". Isso porque a oposição não concorda com os gatilhos presentes no texto, como congelamento de salários de servidores. 

COMENTÁRIOS

Os comentários abaixo são de responsabilidade dos respectivos perfis do facebook.