FEMINICíDIO

Brasil é o 5° país onde mais se mata mulheres em todo o mundo

Em Pernambuco, mais de 100 mulheres foram assassinadas, nos seis primeiros meses de 2019

Brasil é o 5° país onde mais se mata mulheres em todo o mundo

Denunciar casos de agressões contra mulheres é o caminho para reduzir número de mortes - Foto: Foto: Pixabay

Nos últimos meses, casos de feminicídio vêm crescendo em todo o país. Agressões contra as mulheres, que chocam cada vez mais, pelo grau de violência contra as vítimas, muitas vezes deixando sequelas ou levando à morte

Essa violência é traduzida em números. De acordo com as estatísticas, o Brasil é o 5º país onde mais se mata mulheres no mundo. Em Pernambuco, só no primeiro semestre deste ano, 102 mulheres foram assassinadas. 

No mesmo período, em 2018, 127 mulheres foram mortas. Apesar da redução nos casos de morte, não há motivo para comemorar, visto que os últimos meses de junho e julho foram extremamente perversos para mulheres em Pernambuco.

Nesta quarta-feira (7), celebra-se 13 anos da Lei Maria da Penha, um marco no combate à violência contra as mulheres. É preciso, cada vez mais, encorajar as vítimas a denunciar todo e qualquer tipo de violência. 

Confira a reportagem especial

Importância da denúncia

É imprescindível que as vítimas denunciem agressores. Não se calar é o caminho. A cada dois minutos, no Brasil, uma mulher registra agressão baseada na Lei Maria da Penha. "Se você ficar calada, você vai morrer calada. É preciso acreditar que uma relação abusiva é o ciclo que vai aumentando", afirmou a deputada estadual Gleide Ângelo. 

Casos de Violência contra mulheres - Junho e Julho

 

Violência contra mulheres - Agosto

O mês de agosto mal começou e já assusta pelo número de casos de assassinato e estupro. Só na primeira semana deste mês, a TV Jornal divulgou quatro ocorrências em que mulheres foram vítimas.

#UmaPorUma

A violência contra a mulher é constante e frequentemente acaba em tragédia. Existe uma história para contar por trás de cada feminicídio, em Pernambuco. O especial Uma por uma contou todas. Em 2018, o projeto mapeou  onde as mataram, as motivações do crime, acompanharam a investigação e cobraram a punição dos culpados. Um banco de dados virtual, com os perfis de vítimas e agressores, além dos trágicos relatos que extrapolam a fotografia da cena do crime. Confira o especial Uma por Uma AQUI.

COMENTÁRIOS

Os comentários abaixo são de responsabilidade dos respectivos perfis do facebook.