CAIXA ECONôMICA FEDERAL

Auxílio emergencial: Cerca de 2,7 milhões de pessoas estão em análise

Segundo a Caixa Econômica Federal, 117,7 milhões de pessoas já receberam entre uma e três parcelas do auxílio emergencial

Auxílio emergencial: Cerca de 2,7 milhões de pessoas estão em análise

O benefício foi criado pelo governo para amenizar o impacto econômico causado pelas medidas adotadas para conter a pandemia do novo coronavírus. - Foto: Alexandre Gondim/JC Imagem

Com informações da Agência Brasil

Segundo o presidente da Caixa, Pedro Guimarães, 117,7 milhões de pessoas já receberam entre uma e três parcelas do auxílio emergencial, de R$ 600 (R$ 1.200 para famílias chefiadas por mulheres). 

O benefício foi criado pelo governo para amenizar o impacto econômico causado pelas medidas adotadas para conter a pandemia do novo coronavírus.

Guimarães apontou também que ainda há cadastros em análise para o recebimento do auxílio. Cerca de 1,5 milhão de pessoas ainda estão passando pela primeira validação da Empresa de Tecnologia e Informações da Previdência Social (Dataprev), e 1,2 milhão estão passando pela segunda ou terceira análise de cadastro.

 

>> Teve o auxílio emergencial negado? Defensoria Pública poderá ajudar

>> Prorrogação do auxílio emergencial pode ser vetada por Bolsonaro

>> Mãe enfrenta problema de saúde, perde auxílio do governo e faz apelo para cuidar da filha com deficiência intelectual e epilepsia

Pagamento

As datas do pagamento do auxílio emergencial são diferenciadas para pessoas que já eram inscritas no programa Bolsa Família. Segundo dados apresentados, 100% dos cadastros aprovados para o auxílio já receberam a primeira parcela, que teve o último lote creditado em conta na quarta-feira (17). A verba total do governo federal para o pagamento das 3 parcelas do auxílio é de R$ 83,2 bilhões. 

Para os beneficiários do Bolsa Família, a utilização do auxílio poderá ser feita pelo próprio cartão do programa. Quem possui o Cartão Cidadão ou utiliza o aplicativo Caixa Tem, também poderá usar o crédito normalmente, e estará apto a realizar compras online, pagamento de boletos e pagamentos via maquininhas de cartão. 

>> Confira tudo sobre o auxílio emergencial

>> Auxílio emergencial: calendário da 3º parcela deve sair semana que vem

>> Auxílio emergencial: beneficiários esperam calendário da 2º parcela

Balanço

A Caixa divulgou ainda as estatísticas de uso dos serviços envolvidos na requisição, consulta e análise do auxílio emergencial até agora. O aplicativo para celulares Auxílio Emergencial teve cerca de 97 milhões de downloads.

O app Caixa Tem, criado para acessar informações sobre o auxílio emergencial e demais benefícios, o programa de Benefício Emergencial de Preservação do Emprego (BEm) e programas sociais (FGTS, PIS e seguro-desemprego) foi instalado em 124,6 milhões de aparelhos.

Os sites da Caixa referentes ao benefício tiveram 1,3 bilhão de acessos, e a central de ligações do auxílio emergencial atendeu mais de 285 milhões de ligações. 

>> Auxílio de R$ 600: Confira os cuidados na hora de solicitar benefício e como identificar fraudes

>> Auxílio Emergencial: Mais da metade do dinheiro devolvido estava com militares

>> Quase R$ 30 milhões do auxílio emergencial são devolvidos ao governo

Atendimento digital

A prioridade da Caixa Econômica ainda é manter o atendimento digital. Dessa forma, o banco reforça a orientação de que os recursos do auxílio sejam movimentados por meio do aplicativo CAIXA Tem.

O beneficiário que recebe pela Poupança Social Digital pode emitir o cartão de débito virtual para compras pela internet em sites e aplicativos que aceitam débito. A emissão do cartão é gratuita e a compra é debitada diretamente da conta, sem precisar sair de casa.

Para gerar o cartão, basta acessar o App e selecionar a opção Cartão de Débito Virtual, logo na tela inicial e seguir os passos. O aplicativo envia a imagem do cartão com os dados para o usuário utilizar na internet.

Para usar o Cartão de Débito Virtual basta informar os dados disponibilizados pelo App nos sites e aplicativos que aceitam débito. As compras são seguras porque para cada transação é gerado um código de segurança, enquanto nos cartões normais o número é sempre o mesmo. Para as compras recorrentes, o número é salvo e não é preciso gerar um código a cada compra.

Como pagar nas maquinhas com QR Code

Além da possibilidade de uso do cartão de débito virtual, que já estava disponível para compras online, o aplicativo agora oferece a opção “pague na maquininha”, nova forma de pagamento digital que pode ser utilizada nos estabelecimentos físicos habilitados.

A nova funcionalidade do CAIXA Tem é por leitura de QR Code gerado pelas “maquininhas” dos estabelecimentos e que pode ser facilmente escaneado pela maioria dos telefones celulares equipados com câmera.

Quando o cliente seleciona a opção “Pague na maquininha”, no aplicativo CAIXA Tem, automaticamente a câmera do celular é aberta. O usuário deve então apontar o celular para leitura do QR Code gerado na “maquininha” do estabelecimento.

COMENTÁRIOS

Os comentários abaixo são de responsabilidade dos respectivos perfis do facebook.