CAMPANHA

Não espere: procure atendimento nos primeiros sintomas de Covid-19

Ministério da Saúde lançou campanha para reforçar importância do tratamento precoce dos casos de coronavírus (covid-19) no Brasil. Veja como se proteger

Não espere: procure atendimento nos primeiros sintomas de Covid-19

Ministério da Saúde quer reforçar a importância do tratamento precoce da doença - Foto: Pixabay

Ministério da Saúde

Sentiu febre, dor de cabeça, cansaço ou perda de olfato e de paladar? Procure atendimento assistência médica imediatamente. Essa é a orientação do Ministério da Saúde aos cidadãos no combate à Covid-19. A pasta tem realizado ações nas redes sociais para reforçar a importância do tratamento precoce da doença, com a hashtag #Nãoespere.

 

A procura pelas unidades de saúde deve acontecer assim que surgirem os sintomas, mesmo que sejam leves. Ao longo da pandemia, evidências médicas demonstraram que a demora pela busca de atendimento pode agravar os casos, que dificulta a reversão do estado clínico do paciente.

“É fundamental que a população saiba que nós só vamos ganhar essa guerra quando todos procurarem atendimento médico logo após os primeiros sintomas. Essa informação vai salvar muitas vidas”, afirmou o ministro interino da Saúde, Eduardo Pazuello.

O tratamento precoce comprovadamente aumenta as chances de recuperação e diminui a ocorrência de casos mais graves e, consequentemente, o número de internações. A nova diretriz busca adequar o atendimento às melhores evidências médicas e evitar as mortes relacionadas à doença.

 

>> Secretário de Saúde demonstra preocupação sobre falta de medicação para tratar crianças com síndrome rara associada ao coronavírus 

>> Fiocruz: pandemia mantém média de mil vítimas do coronavírus por dia no Brasil

>> "Pico da pediatria em relação ao coronavírus ainda está por vir", diz vice-presidente do Cremepe

 

Sintomas

Confira abaixo todos os sintomas de coronavírus:

  • Tosse
  • Febre
  • Coriza
  • Dor de garganta
  • Dificuldade para respirar
  • Perda de olfato
  • Alteração do paladar
  • Náuseas, vômitos e diarreia
  • Cansaço
  • Diminuição do apetite
  • Falta de ar

A transmissão acontece de uma pessoa doente para outra por meio de contato próximo, através de aperto de mão, gotículas de saliva, espirro, tosse, catarro e de objetivos ou superfícies contaminadas, como celulares, mesas, talheres, maçanetas, brinquedos e teclados de computador.

 

>> Coronavírus: Declaração de vice-presidente do Cremepe sobre ''pico da pediatria'' preocupa especialistas e pais

>> Fiocruz e Anvisa definem produção da vacina contra o coronavírus

>> Novo coronavírus: Reinfecções criam dúvidas sobre imunidade

>> Nova síndrome em crianças associada ao coronavírus é monitorada; entenda a doença   

 

Como se proteger

  • Lave as mãos com frequência com frequência com água e sabão ou higienize com álcool em gel 70%;
  • Ao tossir ou espirrar, cubra nariz e boca com lenço ou com a parte interna do cotovelo;
  • Não tocar olhos, nariz, boca ou a máscara de proteção fácil com as mãos não higienizadas;
  • Se tocar olhos, nariz, boca ou a máscara, higienize as mãos;
  • Mantenha distância mínima de um metro entre pessoas em lugares públicos e de convívio social;
  • Evite abraços, beijos e apertos de mãos.
  • Higienize com frequência o celular, brinquedos das crianças e outros objetos de uso frequente;
  • Não compartilhe objetos de uso pessoal como talheres, toalhas, pratos e copos;
  • Mantenha os ambientes limpos e bem ventilados;
  • Evite circulação desnecessária em lugares públicos;
  • Se estiver doente, evite contato próximo com outras pessoas;
  • Busque orientação pelos canais on-line disponibilizados pelo SUS ou atendimento nos serviços de saúde; e
  • Use máscara em todos os ambientes.

 

>> Rede de Bancos Populares de Alimentos é lançada; veja como ajudar
>> Mulher com doença na mama faz apelo para conseguir atendimento no SUS
>> Mãe enfrenta problema de saúde, perde auxílio do governo e faz apelo para cuidar da filha com deficiência intelectual e epilepsia
>> Campanha incentiva doação de sangue no Brasil
>> Grávida afirma ter sido vítima de golpe e precisa de doações após ficar sem benefício do governo
>> ONG distribui 450 refeições para comunidade em Olinda; veja como doar

 

O que é coronavírus?

Coronavírus é uma família de vírus que causam infecções respiratórias. O novo agente do coronavírus foi descoberto em 31/12/19 após casos registrados na China.Os primeiros coronavírus humanos foram isolados pela primeira vez em 1937. No entanto, foi em 1965 que o vírus foi descrito como coronavírus, em decorrência do perfil na microscopia, parecendo uma coroa.

 

>> Núcleo de Apoio à Criança com Câncer afirma que doações caíram pela metade por causa do coronavírus
>> Pandemia do coronavírus: Lar do Neném pede doações para se manter
>> Delegacia de Boa Viagem e ONG fazem campanhas para arrecadar doações
>> Hospital de Câncer precisa de ajuda para continuar atendendo pacientes
>> Paróquia do Santíssimo Sacramento de Santo Antônio realiza campanha de arrecadação de máscaras para moradores de rua

 

A maioria das pessoas se infecta com os coronavírus comuns ao longo da vida, sendo as crianças pequenas mais propensas a se infectarem com o tipo mais comum do vírus. Os coronavírus mais comuns que infectam humanos são o alpha coronavírus 229E e NL63 e beta coronavírus OC43, HKU1.

Como prevenir o coronavírus?

O Ministério da Saúde orienta cuidados básicos para reduzir o risco geral de contrair ou transmitir infecções respiratórias agudas, incluindo o coronavírus. Entre as medidas estão:

  • Lavar as mãos frequentemente com água e sabonete por pelo menos 20 segundos, respeitando os 5 momentos de higienização.
  • Se não houver água e sabonete, usar um desinfetante para as mãos à base de álcool.
  • Evitar tocar nos olhos, nariz e boca com as mãos não lavadas.
  • Evitar contato próximo com pessoas doentes.
  • Ficar em casa quando estiver doente.
  • Cobrir boca e nariz ao tossir ou espirrar com um lenço de papel e jogar no lixo.
  • Limpar e desinfetar objetos e superfícies tocados com freqüência.
  • Profissionais de saúde devem utilizar medidas de precaução padrão, de contato e de gotículas (mascára cirúrgica, luvas, avental não estéril e óculos de proteção).
  • Para a realização de procedimentos que gerem aerossolização de secreções respiratórias como intubação, aspiração de vias aéreas ou indução de escarro, deverá ser utilizado precaução por aerossóis, com uso de máscara N95.

Confira o passo a passo de como lavar as mãos de forma adequada: 

COMENTÁRIOS

Os comentários abaixo são de responsabilidade dos respectivos perfis do facebook.