Solidariedade

Pacientes com câncer denunciam que não estão recebendo remédios do Governo e sofrem com descaso


Pacientes precisam de medicamentos que custam R$11 mil e R$27 mil.

Caterine Costa de Oliveira
Caterine Costa de Oliveira
Publicado em 04/08/2021 às 18:55
Reprodução/TV Jornal
FOTO: Reprodução/TV Jornal
Leitura:

Há três anos, a dona de casa Eliziane Pereira, de 44 anos, vive um drama. Portadora de um câncer agressivo no rosto, ela luta para continuar seu tratamento, pois não tem condições de custear o medicamento que tem o valor de R$27 mil.

O filho de dona Eliziane, Bruno José, cuida da mãe. Segundo ele, a medicação ajuda a reduzir as dores. " Esse remédio vai servir para que o câncer venha diminuindo e venha melhorar o dia-a-dia dela, porque ele consegue também reduzir a dor", disse.

Por meio da justiça, a família fez com que o Governo do Estado realizasse a compra do remédio, mas até essa terça-feira (3), data em que a reportagem foi ao ar no programa O Povo na TV, a determinação não foi cumprida.

Veja a reportagem

Além da dona de casa, o porteiro Fábio Lopes, de 42 anos, que descobriu em março deste ano um câncer no fígado e no pâncreas, conseguiu na justiça que o Governo arcasse com seu medicamento que custa R$11 mil.

Porém até esta quarta-feira (4), ainda espera uma resposta.

"Já saíram três liminares à favor dele, só que os prazos que dão são muito grandes", relata Rute Oliveira, esposa de Fábio.

Como ajudar?

  • Bruno José - filho de Eliziane Perreira - Telefone: (81) 98367-8646
  • Rute Oliveira - esposa de Fábio Lopes - Telefone: (81) 99166-4716

Nota da SES-PE

Em nota, a Secretária Estadual de Saúde informou que está acompanhando os casos dos pacientes e que já realizou a aquisição do medicamento octreotida lar, na apresentação 30mg.

No momento, a secretaria aguarda a entrega da medicação por parte do fornecedor.

Em relação ao medicamento vismodegibe, a secretaria destaca que já foram iniciados os trâmites necessários para o processo de aquisição e posterior fornecimento para a paciente.

A secretaria ainda ressalta que a compra dos medicamentos no setor público precisa seguir todos os trâmites legais da administração pública, mesmo se tratando de uma medida judicial.

Assim que a secretaria estiver de posse dos insumos, as entregas serão feitas.