INVESTIGAçãO

Operação: R$ 700 mil desviados pela Câmara de Vereadores de Paulista

TV Jornal

-Reprodução/TV Jornal

Desencadeada pela Polícia Civil em Pernambuco, a Operação batizada como “Chaminé” começou após o Ministério Público perceber irregularidades em quatro licitações realizadas pela Câmara de Vereadores de Paulista, na Região Metropolitana do Recife, entre os anos de 2013 e 2015. Os interrogatórios e análise de documentos levaram a um esquema de desvio de dinheiro na região.

Segundo o delegado Diego Pinheiro, o ex-vereador Iranildo Domicio de Lima, Presidente da Câmara na época, é o principal suspeito. Ele supostamente atuava como líder da organização criminosa. Foram presos também, a advogada Lúcia Maria do Nascimento e os empresários Elias Ulisses da Silva e Mauro Monteiro de Melo, além de José Roberto Lima dos Santos, homem que atuaria como “laranja” nas ações.

Como atuava o esquema

A empresa que vendia essas licitações era a EUS Serviços Limitada, que estava no nome do empresário Elias Ulisses e atuava no ramo de construção. Dos quatro contratos investigados, três eram para reformas na Câmara de Vereadores. O custo chegava a quase R$ 700 mil.  Do montante, a polícia indica que pelo menos R$ 400 mil foram para a advogada.

COMENTÁRIOS

Os comentários abaixo são de responsabilidade dos respectivos perfis do facebook.