Hospital da Mulher

Mulher denuncia fratura na coluna por violência durante parto

Diante da denúncia, o hospital afirmou que 'não é possível relacionar o quadro apresentado pela paciente com o trabalho de parto'

Karina Costa Albuquerque
Karina Costa Albuquerque
Publicado em 30/08/2019 às 11:30
Reprodução/TV Jornal
FOTO: Reprodução/TV Jornal
Leitura:

Uma dona de casa denunciou o Hospital da Mulher do Recife, localizado no bairro do Curado, na Zona Oeste do Recife. A mulher ficou com dificuldades para andar depois do parto da segunda filha e, mesmo sem fazer exames para identificar o motivo, ela recebeu alta do hospital.

Já se passaram 22 dias, desde o parto normal, e Karina Barbosa de Souza continua andando com dificuldade. Ela recebeu alta três dias após o parto e disse que reclamou diversas vezes das dores, durante o tempo que passou no hospital. Disse que não conseguia sequer caminhar e que o médico do plantão, no dia da alta, deu apenas uma medicação para aliviar as dores e a mandou pra casa.

>> Mulher dá à luz dentro de carro durante corrida de Uber em Petrolina

>> Mulher tem parto em cadeira de rodas em hospital de Goiana; veja vídeo

>> Gestante morre após parto e família denuncia o Tricentenário

>> Pacientes denunciam superlotação em ala de parto em Hospital do Recife

Problema na coluna

Karine voltou ao hospital 11 dias depois para realizar os exames. No primeiro, foi detectado um edema na coluna. Na semana seguinte, mais exames e foi aí a confirmação de uma fratura no osso da coluna. Para o marido de Karine, Jameson Ramos do Nascimento, houve descaso por parte do hospital durante o atendimento da esposa. Ele acredita que tudo isso foi fruto de uma violência obstétrica.

Nota do hospital

O Hospital da Mulher disse que está fazendo exames para saber se existia algum fator pré-existente que justifique a fratura. Ainda de acordo com o hospital, a dona de casa foi avaliada com boas condições para receber alta.

"O Hospital da Mulher do Recife (HMR) informa que está avaliando o caso, junto com a Secretaria de Saúde (Sesau) do Recife, e que, até o momento, não é possível relacionar o quadro apresentado pela paciente com o trabalho de parto.

O parto natural da usuária ocorreu sem intercorrências, no dia 8, e ela teve alta do HMR no dia 12, por ter sido avaliada com boas condições clínicas. A usuária foi reinternada na última terça-feira (27) e recebeu alta nessa quinta-feira (29), após melhora da situação clínica."

A Dor do Desrespeito

Por meio do parto chegamos a este mundo, sendo esperados como fontes de grandes mudanças e esperanças de uma vida melhor. Infelizmente, não são raras as vezes nas quais esse momento, que era para ser lindo, um dos mais felizes na vida de uma família, vira pesadelo. Confira o especial A Dor do Desrespeito, da TV Jornal.

+VÍDEOS