CASO DE POLíCIA

Um dos detentos que fugiu do presídio de Limoeiro é um dos homicidas mais perigosos de Pernambuco, diz sindicato

Nego de Lídio é acusado de 25 homicídios

Um dos detentos que fugiu do presídio de Limoeiro é um dos homicidas mais perigosos de Pernambuco, diz sindicato

O criminoso esteve foragido entre 2014 e 2018, quando escapou da Penitenciária Barreto Campelo - Foto: DIVULGAÇÃO/PMPE

De acordo com o Sindicato dos Policiais Penais de Pernambuco, um dos detentos que conseguiu fugir da Penitenciária Doutor Ênio Pessoa Guerra, em Limoeiro, no Agreste de Pernambuco, na madrugada desta quinta-feira (9), é um dos homicidas mais perigosos do Estado.

Jerry Adriani Gomes da Silva, conhecido como Nego de Lídio, de 50 anos, é acusado de 25 mortes, assaltos a carros-fortes e bancos. Em dezembro de 2014, o criminoso também conseguiu da Penitenciária Barreto Campelo, em Itamaracá. Ele só foi recuperado em 2018, no Piauí.

A ação

Segundo a Polícia Militar, homens que chegaram em um carro, por volta das 3h30, usaram explosivo para abrir um buraco no muro da unidade e metralharam a guarita. Um número ainda não identificado de detentos conseguiu fugir.

 

Resposta da Seres

Por meio de nota, a Secretaria Executiva de Ressocialização (Seres) explicou que a evasão se deu por volta das 4h, e que os presos foragidos estão sendo identificados e tropas especiais da Polícia Militar já trabalham na recaptura. A pasta acrescentou que uma sindicância administrativa será aberta para apurar as circunstâncias em que o caso ocorreu.

Confira a nota na íntegra:

"A Secretaria Executiva de Ressocialização (Seres) informa que registrou na manhã desta quinta-feira (09/07) a fuga de detentos da Penitenciária Doutor Ênio Pessoa Guerra, em Limoeiro. A evasão se deu por volta das 4h, através da explosão de um dos muros da unidade prisional. Os presos foragidos estão sendo identificados e tropas especiais da Polícia Militar já trabalham na recaptura. A Seres acrescenta, ainda, que uma sindicância administrativa será aberta para apurar as circunstâncias em que o caso ocorreu."

COMENTÁRIOS

Os comentários abaixo são de responsabilidade dos respectivos perfis do facebook.