CASO MIGUEL

Caso Miguel: Justiça autoriza bloqueio de bens de Sarí Corte Real e Sérgio Hacker; Casal tem 15 dias para apresentar defesa

A decisão foi tomada a partir de uma ação civil pública do Mistério Público do Trabalho e atende a um pedido de tutela provisória de urgência para garantir o pagamento de indenização por dano moral

Caso Miguel: Justiça autoriza bloqueio de bens de Sarí Corte Real e Sérgio Hacker; Casal tem 15 dias para apresentar defesa

Sari Corte Real foi ouvido nesta segunda-feira - Foto: Yaci Ribeiro/ JC Imagem

A Justiça do Trabalho determinou o bloqueio de R$ 2 milhões em bens do casal Sarí Corte Real e Sérgio Hacker, ex-patrões da mãe e da avó do menino Miguel Otávio, de 5 anos, que morreu no dia 2 de junho após cair do 9º andar do edifício Píer Maurício de Nassau, no bairro de Santo Antônio, no Centro do Recife onde a mãe dele trabalhava como empregada doméstica.

A decisão foi tomada a partir de uma ação civil pública do Mistério Público do Trabalho e atende a um pedido de tutela provisória de urgência para garantir o pagamento de indenização por dano moral no processo que envolve os vínculos empregatícios de Mirtes e Marta com o casal Sarí e Sérgio. 

>>Caso Miguel: Cantora Adriana Calcanhoto lança música dedicada ao menino

>>Caso Miguel: Justiça marca primeira data de audiência

>>Caso Miguel: "Não receberam nada em relação aos direitos trabalhistas", fala advogada de Mirtes

Bloqueio

O bloqueio incluiu móveis, imóveis, ativos financeiros, participações em sociedades, títulos da dívida pública e outros títulos negociáveis em bolsas de valores. 

Defesa

O casal tem até 15 dias para apresentar defesa.

Resposta

A produção da TV Jornal tentou contato com os advogados do casal, mas até agora não recebeu resposta.

Audiência

Após quatro meses da morte do garoto Miguel Otávio, de 5 anos, a Justiça de Pernambuco marcou, na segunda-feira (27), a primeira audiência de instrução e julgamento do caso, que será no dia 3 de dezembro. Na ocasião, serão ouvidas testemunhas de defesa e acusação, além da ré, Sari Corte Real

UFRPE cria instituto voltado aos cuidados da infância à velhice em homenagem ao garoto

A Universidade Federal Rural de Pernambuco (UFRPE) criou o instituto 'Menino Miguel', que vai desenvolver pesquisar e propostas de políticas públicas voltas para o cuidado com a vida. O projeto criado pela universidade será voltado aos cuidados com a vida da infância à velhice e tem como objetivo trazer bem estar a população.

O instituto será inaugurado no dia 13 de outubro e irá funcionar dentro da universidade. A primeira etapa do projeto reunirá a Escola de Conselhos de Pernambuco, os núcleos do cuidado humano e de envelhecimento além do observatório da família.

 

Relembre o caso

O menino Miguel morreu no dia 2 de junho e o caso gerou grande repercussão. O menino estava aos cuidados da patroa da mãe dele, Sari Gaspar Corte Real, esposa do prefeito de Tamandaré Sérgio Hacker. Sarí foi indiciada por abandono de incapaz com resultado de morte e aguarda julgamento em liberdade.

COMENTÁRIOS

Os comentários abaixo são de responsabilidade dos respectivos perfis do facebook.