MANIFESTAçãO

Profissionais da rede estadual de educação e estudantes da UPE protestam no Recife

Professores pediram suspensão das aulas presenciais e vacina contra a covid-19. Estudantes pediram orçamento para a UPE

Profissionais da  rede estadual de educação e estudantes da UPE protestam no Recife

Em frente ao Palácio do Campo das Princesas, cruzes pretas foram colocadas no chão para simbolizar as mortes de trabalhadores da educação do Estado provocadas pela covid-19 - Foto: BRUNO CAMPOS/TV Jornal

Profissionais da rede estadual de educação e estudantes da Universidade de Pernambuco (UPE) realizaram uma manifestação, na manhã desta quinta-feira (20), no Palácio do Campo das Princesas, no bairro de Santo Antônio, área central do Recife.

Cruzes pretas foram colocadas no chão para simbolizar as mortes de trabalhadores da educação do Estado, provocadas pela covid-19. A categoria, que está em greve há um mês, pede a suspensão das aulas presenciais, até que todos os profissionais sejam vacinados.

Sintepe

O Sintepe protesta pela celeridade da vacinação de profissionais da Educação em Pernambuco, com o argumento de que, pelo menos, 47 trabalhadores já faleceram por causa da covid-19, em dados não oficiais. "O ato público é para denunciar as mortes que já acontecem na educação e para pedir urgência no plano de vacinação. Esperamos uma terceira audiência no Ministério Público de Pernambuco (MPPE) para discutir o tema e, na próxima quarta, a comissão estadual de avaliação do retorno das atividades presenciais prometeu incluir na pauta o plano de vacinação para os profissionais da educação", disse a vice-presidente do sindicato, Ivete Caetano.

Estudantes

Os estudantes universitários cobravam do Governo do Estado o fechamento do orçamento anual da UPE. Segundo eles, a universidade chega quase ao final do primeiro semestre sem saber o orçamento para 2021.

>> Transporte público: Rodoviários fazem protesto no Centro do Recife e metrô vai parar, por vacina contra a covid-19

UPE

A UPE tem 54 cursos de graduação oferecidos nas cidades de Recife, Camaragibe, Palmares, Nazaré da Mata, Caruaru, Garanhuns, Arcoverde, Serra Talhada, Salgueiro e Petrolina. A carência de recursos, segundo o DCE, vem impossibilitando a construção de um novo prédio para a Faculdade de Odontologia — que teve a sede desocupada por problemas estruturais — e o pagamento do aluguel do Campus Mata Sul, em Palmares.

A Universidade de Pernambuco (UPE) não confirmou a informação. A Secretaria de Ciência e Tecnologia, pasta da gestão estadual à qual a universidade é vinculada, também não se pronunciou sobre a denúncia. No entanto, uma comissão do protesto foi convidada por representantes do Governo do Estado para uma reunião.

COMENTÁRIOS

Os comentários abaixo são de responsabilidade dos respectivos perfis do facebook.