Surto

Moradores de Olinda começam a apresentar sintomas do novo surto de coceira que atinge o Grande Recife


Além de Olinda, outras cinco cidades da Região Metropolitana já notificaram casos de coceiras e lesões na pele

Caterine Costa de Oliveira
Caterine Costa de Oliveira
Publicado em 25/11/2021 às 13:45
Reprodução/TV Jornal
FOTO: Reprodução/TV Jornal
Leitura:

Moradores de diversas faixas etárias da cidade de Olinda, na Região Metropolitana do Recife, também começaram a apresentar coceira e lesões na pele.

Esses sintomas se assemelham aos apresentados pela população de outras cidades que estão sob investigação como parte do novo surto misterioso que atinge a região.

Severino Francisco, aposentado de 72 anos, está com com o tronco, as costas e os dois braços cheios de manchas vermelhas parecidas com vergões.

Há quinze dias, quando a coceira começou, ele procurou ajuda médica mas ainda não foi diagnosticado. "Hoje eu vim para doutora para mostrar a ela e ver se tem alguma medicação", contou.

Zuleide Lopes tem 70 anos e também procurou o Posto de Saúde no bairro de Salgadinho para tratar a doença. Nela as manchas apareceram na barriga e nas costas.

"Eu senti uma coceira me incomodando quando fui olhar estavam os ferimentos. É um mistério que ninguém sabe o que é isso", aponta a aposentada.

Surto de coceira em outras cidades

Além de Olinda, mais cinco cidades da Região Metropolitana foram notificadas com a doença. Os pacientes são de todas as faixas etárias e apresentam os mesmos sintomas.

O Recife está no topo da lista com o maior número de casos. Em seguida vem os municípios de Camaragibe, Jaboatão dos Guararapes, São Lourenço da Mata e Paulista.

Só na capital pernambucana já são quase 150 notificações em 23 bairros. Dois irmãos e Guabiraba estão com mais de 80% dos casos.

Em Camaragibe já são mais de 78 casos registrados e em Paulista seis pessoas foram confirmadas com a doença misteriosa. Sendo quatro do sexo masculino e duas do sexo feminino com idades entre 7 e 87 anos.

Os registros foram nos bairros de Torres Galvão, Janga, Maranguape e Pau Amarelo.

Já em Jaboatão dos Guararapes os moradores são de Prazeres e Piedade mas também há registros da doença nos bairros de Vila Rica e Zumbi do Pacheco.

O que diz o especialista?

A médica dermatologista Lígia Pessoa, alerta a população quanto aos cuidados nos primeiros sinais do aparecimento dos sintomas.

"Se tiver algum sinal de alerta, como febre você deve procurar um médico precocemente. Se não, após o segundo dia se as coceirinhas não desaparecerem", explicou.

A médica também orientou à população a não usar medicamentos sem prescrição de um profissional da saúde e afirmou que o banho com água fria ajuda a melhorar a coceira.

"Evitem banhos quentes, evitem colocar dicas caseiras, produtos caseiros. Banho frio e compressa fria. Tudo indica que trata-se de uma coisa relativamente tranquila e benigna", esclareceu a especialista.