Feminicídio

Pernambucana é vítima de estupro e espancamento em Campina Grande-PB


A vítima sofreu perfurações em todas as partes do corpo e chegou a desmaiar. O agressor foi identificado e é ex-presidiário

Gustavo Henrique Gustavo Henrique
Gustavo Henrique
Gustavo Henrique
Publicado em 24/06/2019 às 19:30
Reprodução/TV Jornal
FOTO: Reprodução/TV Jornal
Leitura:

Uma pernambucana, de 25 anos, foi estuprada e espancada na cidade de Campina Grande, na Paraíba. Ela foi atacada nas proximidades do Parque do Povo, local onde aconteciam shows de São João do município.

O agressor, José Francisco Pereira dos Santos foi identificado e preso. Ele é ex-presidiário e, segundo informações, já praticou furtos na área do parque e tem mulheres como principal alvo.

Confira

Momento do crime

O crime aconteceu por volta das 04h da manhã, quando a mulher chegava na casa da avó e, ao tentar entrar, percebeu que estava sem a chave. Ela pulou o muro da residência e foi surpreendida pelo homem no jardim da casa.

Perfurações em todo o corpo

A mulher foi perfurada pelo agressor. "Ele a dominou, perfurou, mordeu e deixou ela despida. Ela sofreu perfurações por todas as partes do corpo, inclusive na virilha. A vítima ficou tão debilitada que desmaiou", detalhou o delegado Francisco de Assis.

Feminicídio

Ainda segundo o delegado, o crime foi de feminicídio. "Foi um estupro consumado e um feminicídio na forma atentada", esclareceu.

Agressor

Com o auxílio de câmeras de segurança das imediações do Parque do Povoa e com as informações repassadas pela vítima, foi possível identificar e prender o agressor, José Francisco Pereira do Santos, de 34 anos. Ele é ex-presidiário.

Quadro da vítima

A pernambucana está internada em um hospital de Campina Grande sem previsão de alta. Devido ao feriado, a audiência de custódia de José Francisco só deve acontecer nesta terça- feira (25).

#UmaPorUma

Existe uma história para contar por trás de cada assassinato de mulher em Pernambuco. O especial Uma por uma contou todas. Em 2018, o projeto mapeou onde as mataram, as motivações do crime, acompanharam a investigação e cobraram a punição dos culpados. Um banco de dados virtual, com os perfis de vítimas e agressores, além dos trágicos relatos que extrapolam a fotografia da cena do crime. Confira o especial Uma por Uma AQUI.