Combustíveis

ICMS Congelado: Secretário explica se preço da gasolina vai diminuir


O secretário da Fazenda de Pernambuco, Décio Padilha, afirmou que o prazo vai ser suficiente para discutir o futuro do Brasil

Robert Sarmento
Robert Sarmento
Publicado em 29/10/2021 às 21:03
Bruno Campos - JC Imagem
FOTO: Bruno Campos - JC Imagem
Leitura:

Diante da repercussão e da possibilidade de novos aumentos no preço da gasolina e outros combustíveis, o Conselho do Governo Federal e de Estados congelou ICMS sobre os combustíveis por 90 dias. De acordo com o secretário da Fazenda de Pernambuco, Décio Padilha, o prazo vai ser suficiente para discutir o futuro do Brasil.

Ainda de acordo com Décio Padilha, é preciso garantir resultados, como criar um fundo de equalização de preço ou revisar a nova política de preços da Petrobras.

O comitê já identificou soluções para apresentar à sociedade. A primeira solução é a revisão da nova política de preços da Petrobras, que é 100% atrelada ao dólar. Como 40% é importado e a produção nacional tem o custo de 60%, vamos dolarizar apenas os 40%.
Décio Padilha, secretário da Fazenda de Pernambuco

>> Em meio ao alto preço da gasolina, Jair Bolsonaro diz ter 'vontade de privatizar' a Petrobras

O governador do Piauí, Welligton Dias, por exemplo, afirmou que o congelamento é uma alternativa emergencial. "É isso que faz cair o preço da gasolina, por exemplo, para R$ 4,50, já no dia seguinte, após a capitalização", afirmou.

Confira a matéria que foi ao ar no programa O Povo na TV:

Definição dos preços

A Petrobras define sozinha os valores dos combustíveis e não tem empresa concorrente, como acontece em outros países, e nem existe um órgão regulador para a interferência de preços. Com a defasagem de cerca de 15% nos preços dos combustíveis até o final de 2021, a situação pode piorar, conforme explica o secretário Décio Padilha.

>> Vai faltar gasolina? Demanda de gasolina e diesel está acima da capacidade de produção

Várias petrolíferas no mundo praticam a dolarização completa. Ou seja, o preço da gasolina e do diesel é 100% ligado ao dólar. Quando se copia isso, não se copia a concorrência. Atrapalha muito só a Petrobras definir o preço, pois os postos de combustíveis não têm outro lugar para comprar (gasolina e diesel).
Décio Padilha