Polícia

Confira como foi a perícia do caso da vereadora Liana Cirne, atingida por spray de pimenta em protesto, no Recife

A vereadora Liana Cirne (PT) foi atingida por um spray de pimenta, durante um protesto contra o governo Bolsonaro, no Recife

Karina Costa Albuquerque
Karina Costa Albuquerque
Publicado em 29/07/2021 às 12:10 | Atualizado em 04/05/2022 às 17:02
REPRODUÇÃO/REDES SOCIAIS
FOTO: REPRODUÇÃO/REDES SOCIAIS
Leitura:

A Polícia Civil de Pernambuco fez, nesta quinta-feira (29), uma perícia criminal de constatação para esclarecer dúvidas do momento em que a vereadora do Recife, Liana Cirne, foi atingida por spray de pimenta, durante um protesto contra o governo Bolsonaro.

A perícia criminal de constatação aconteceu no pátio da Central de Plantões.

A viatura de onde partiu o jato de spray de pimenta que atingiu a vereadora foi medida e fotografada por peritos do Instituto de Criminalística (IC).

O soldado da Rádio Patrulha que teria acionado o dispositivo participou da perícia, com o rosto coberto por uma bala clava. Ele respondia aos questionamentos da perita Magda Pedroza. 

 

Inquérito do caso de Liana Cirne

Essa perícia de constatação foi solicitada para esclarecer pontos importantes no inquérito. Os delegados querem saber, por exemplo, a distância exata entre o policial e a vereadora, para avaliar os danos causados pelo spray.

De acordo com a perita, o policial disse que estava sentado atrás do motorista.

Imagens de celular registraram o momento em que a vereadora Liana Cirne, do PT, se aproxima da viatura da Rádio Patrulha, durante o protesto, e em seguida recebe o jato de spray, que parte da janela traseira direita, lado oposto ao que o policial estaria.

No momento, tinham 4 policiais na viatura e um preso no xadrez. A perícia foi acompanhada pelo advogado de defesa dos policiais da Rádio Patrulha, Rafael Nunes, que falou da importância do laudo para o inquérito.

O protesto contra o presidente Jair Bolsonaro aconteceu há 2 meses, no dia 29 de maio.

Na época, além da vereadora, várias pessoas ficaram feridas, duas delas perderam o olho após serem atingidas por balas de borracha, disparadas pela polícia.

Veja mais sobre o caso

+VÍDEOS