CASO KART

Vítima de acidente em Kart, Débora Dantas, confirma pedido por Harvard em conversa informal com Grupo Big

Em nota, a rede de supermercados disse ter sido surpreendido com as declarações da jovem e do advogado

Vítima de acidente em Kart, Débora Dantas, confirma pedido por Harvard em conversa informal com Grupo Big

Débora Dantas reafirmou que o tratamento está parado, mas está vendo uma data para a cirurgia com o médico - Foto: Filipe Jordão/JC Imagem

A estudante Débora Dantas, em entrevista coletiva, nesta sexta-feira (17), falou sobre o posicionamento do Grupo Big, que afirmou ''jamais ter negado a custear os procedimentos necessários'' e de ter sido ''surpreendido com o pedido para financiar o curso na Universidade de Medicina de Harvard, nos Estados Unidos''. A jovem vítima de escalpelamento em um kart disse que a viagem foi sugerida pelo setor de Recursos Humanos da empresa.

''Em nenhum momento, eu disse que não queria tratamento. Eu solicitei, caso fosse possível, se poderia ir para lá (Estados Unidos), como foi sugerido à mim. Eu pedi para que, se caso não aceitasse essa solicitação, eu pudesse me tratar. Eu jamais colocaria minha vida em risco'', afirmou.

>>>Saiba como e quanto custa estudar na Universidade de Harvard, nos Estados Unidos<<<

 

 

Tratamento

Ainda nesta sexta-feira (17), o Procon-PE emitiu uma nota para a imprensa e informou que o Grupo Big irá custear R$ 300 mil do tratamento de Débora Dantas. No entanto, a jovem reforçou que o tratamento estava parado e que a empresa não estava lhe ajudando. ''Nunca recebi auxílio financeiro deles. O que eles mandavam eram os remédios que tem o custo semanal de R$ 500, e eu não estou recebendo mais essas medicações'', contou.

Repercussão

Débora Dantas também justificou o fato de convocar a coletiva de imprensa e as reuniões com o Governo de Pernambuco. A jovem diz que, sem o tratamento, corre risco de vida. ''Eles mandaram uma mensagem há dois dias, e isso prova que não estava tendo o atendimento. Precisou (da repercussão da imprensa), para eu ter esse respaldo. A gente ainda está vendo a data especifica com o doutor (para a cirurgia). No momento, o tratamento está parado. Eu preciso tirar os pontos da minha cabeça. É um 'porta' para bactérias e outras doenças'', concluiu.

Nota do Grupo Big na íntegra

O Grupo Big esclarece que jamais se negou, nem se negará, a custear os procedimento necessários à plena recuperação da saúde (de Débora)", diz trecho da nota. "Por intermédio do seu advogado, Débora então apresentou um lista de pleitos que não guardam nenhuma relação com o acidente ou com a sua saúde, como: financiamento de curso preparatório de sua escolha, em qualquer lugar do mundo; financiamento do curso da Universidade de Medicina de Harvard; custeio de plano de saúde internacional; casa em Longwood, nos EUA; e pagamento do valor de 10 milhões de dólares.", continua o comunicado.

O Big Bompreço afirmou ainda ter sido surpreendido com declarações da jovem e seu advogado, que segundo a empresa, não correspondem à realidade. Segundo a rede de supermercados, declarações "não representam a conduta que o Grupo Big tem adotado desde o início.

COMENTÁRIOS

Os comentários abaixo são de responsabilidade dos respectivos perfis do facebook.