PORTAS FECHADAS

Funcionários, alunos e pais estão indignados com fechamento de colégio em Olinda

Segundo os pais de alunos, a direção do colégio decidiu encerrar as atividades por problemas financeiros

Funcionários, alunos e pais estão indignados com fechamento de colégio em Olinda

A notícia do fechamento da instituição foi dada com uma semana antes do início do ano letivo - Foto: Reprodução/TV Jornal

Após uma reunião convocada na última segunda-feira (27), pela direção do Colégio Luiza Cora, localizada no bairro de Casa Caiada, em Olinda, relatando o fechamento da instituição, funcionários, alunos e pais estão indignados pela situação que se encontram.

 

Segundo o advogado, Manoel Soares, que afirmou ter feito a matrícula do neto em outubro do ano passado, e que esteve na semana passada para comprar o material escolar e a farda da criança, está revoltado com a situação e vai entrar com ação judicial.

"Eu estou com meu neto simplesmente prejudicado, com minha filha prejudicada e vou tentar reunir um grupo para nós entrarmos com uma ação, tanto na esfera civil como penal", relatou.

>>Em Olinda, colégio encerra as atividades e pega pais e funcionários de surpresa

Segundo os pais, a direção do Colégio Luiza Cora decidiu encerrar as atividades por problemas financeiros. A decisão foi tomada durante uma reunião que aconteceu na última segunda-feira (27) com os funcionários.

Surpresa

Apesar do início das aulas previsto para a próxima segunda-feira (03), o colégio comunicou o encerramento das atividades.

"Resistimos o máximo que pudíamos, mas infelizmente, estou falando uma coisa muito triste que envolve professores, funcionários, famílias, os nossos alunos. E a gente sente muito. Só que 150 alunos não ia suprir as necessidades", contou a coordenadora da escola, Adriana Alves.

Ressarcir

Nesta quarta-feira (29), representante da instituição de ensino prometeu devolver o dinheiro investido pelos pais e quitar salários de professores e funcionários.

Fiscalização

O Procon-PE notificou o CLC na manhã desta quarta (29), solicitando, com prazo de 24 horas, esclarecimentos sobre o possível encerramento das atividades, matrículas realizadas, pagamentos e demais informações sobre alunos já matriculados.

Com isso, a instituição precisa protocolar o fechamento e se comprometer a devolver todo o valor que foi gasto pelas famílias, como matrículas, fardamento, lista de material escolar e livros do ano letivo.

Pronunciamento

Em entrevista ao Jornal do Commercio, Francisco Júnior, diretor do Colégio Santa Emília, relatou que a instituição não possui vínculo nenhum com o Colégio Luiza Cora. Porém, na semana passada ele foi procurado pelo então diretor do CLC, conhecido apenas como Fábio, para realizar uma parceria com relação às matrículas.

"Ele me procurou dizendo que estava com poucas matrículas e que estava preocupado, porque havia feito uma campanha de matrícula para o ano letivo e que não tinha condições financeiras de devolver esse dinheiro", falou Francisco.

Francisco informou também que os dois realizaram a parceria de forma verbal e confirmou a isenção das matrículas. "Aceitei, porque se eu estivesse no lugar dele, gostaria que tivessem feito isso por mim", concluiu.

COMENTÁRIOS

Os comentários abaixo são de responsabilidade dos respectivos perfis do facebook.