GREVE

Professores da rede pública do Recife em greve por tempo indeterminado

Nesta quarta-feira (11), acontece o primeiro dia da paralisação e os docentes pretendem dialogar com a comunidade, em assembleia

Professores da rede pública do Recife em greve por tempo indeterminado

A decisão dos professores foi tomada nessa terça-feira (10), na primeira Assembleia Geral de 2020 - Foto: Foto: Reprodução/YouTube

Os professores da Rede Pública de Ensino do Recife entraram em greve por tempo indeterminado, nessa terça-feira (10). A decisão foi tomada, após uma assembleia, na qual a categoria rejeitou a proposta de reajuste salarial da Prefeitura. Nesta quarta-feira (11), acontece o primeiro dia da paralisação e os docentes pretendem conversar com a comunidade, em assembleia, no Pátio da Prefeitura do Recife.

Lei

Os mais de 6 mil profissionais estão exigindo o cumprimento da lei do piso salarial do magistério público da educação básica. Eles desejam um aumento de 12,84% e indicam que o pagamento parcelado, proposto pela Prefeitura do Recife, prejudica a categoria. 

>> Governo Federal anuncia aumento do piso dos professores

>> Estudante da UFRB se recusa a receber documentos de professora negra e gera revolta na internet

>> Com ajuda de professor, aluno cadeirante marca gol em jogo de futebol; veja

>> Vídeo: professor é atingido na cabeça por um balde colocado na porta pelos alunos

Reivindicações

Além da reivindicação salarial, os professores pedem também a abertura de concurso público para preencher cerca de mil vagas na rede, eleições diretas para gestores de escolas e melhorias no plano de saúde do servidor, o Saúde Recife.

Proposta da Prefeitura

A proposta da prefeitura do Recife, que foi rejeitada, é de dividir a extensão do reajuste em três parcelas, além de reajustar o abono educador, que é pago sempre no mês de outubro, em 9,54%. Para Cláudia Ribeiro, coordenadora geral do Sindicato Municipal dos Profissionais de Ensino da Rede (Simpere), Cláudia Ribeiro, o parcelamento é um “profundo desrespeito”.

"A proposta da prefeitura, de dividir o percentual de 12,84%, quando a lei federal diz que ele tem que ser parcelado em janeiro, parcelado em três vezes, a partir de outubro, é um profundo desrespeito. Nesse sentido, a gente continua em greve por tempo ilimitado. A gente estudou as contas da prefeitura do Recife e, ao contrário do que ela diz, em rodada de negociação, a prefeitura tem condições de atender a nosso pleito", afirmou a coordenadora. 

Nota da Prefeitura do Recife na íntegra

A Prefeitura do Recife foi surpreendida com a decretação de greve por parte do Simpere, tendo em vista que estava aberto o canal de diálogo com a categoria. Nesta segunda-feira (9), foi realizada a segunda mesa de negociação setorial com a categoria, além de quatro rodadas da Mesa Geral de Negociação dos Servidores. A decisão do sindicato em pleno ambiente de negociação só prejudica os 90 mil alunos da rede municipal de ensino e seus familiares.

A Prefeitura do Recife informa ainda que vai pagar o piso salarial estabelecido pela Lei Federal n° 11.738/2008, a partir deste mês. Mesmo diante da grave crise econômica que a afeta as contas públicas em todo o país, a Prefeitura do Recife propôs a extensão do reajuste de 12,84% para toda a categoria, aplicado em três parcelas (4,5% em outubro, 4% em novembro e 3,83% em dezembro), além de reajustar o abono educador, que é pago sempre no mês de outubro, em 9,54%.

COMENTÁRIOS

Os comentários abaixo são de responsabilidade dos respectivos perfis do facebook.