EDUCAÇÃO

Governo de Pernambuco nega data vazada com retorno das aulas presenciais

Circulam nas redes sociais supostas datas de reabertura das aulas presenciais. O Governo de Pernambuco nega datas vazadas

Governo de Pernambuco nega data vazada com retorno das aulas presenciais

A suspensão das aulas presenciais foi determinada desde o dia 18 de março - Foto: Day Santos/TV Jornal

Devido as mensagens que começaram a circular em redes sociais e grupos de WhatsApp com supostas datas para o retorno das aulas presenciais em Pernambuco, o Governo do Estado negou, na manhã desta quarta-feira (5), uma possível data de retorno das aulas. De acordo com o que foi vazado, a primeira etapa do retorno das atividades presenciais aconteceria no dia 1° de setembro com a educação básica. Já a segunda etapa aconteceria no dia 8 de setembro, a terceira no dia 15 do mesmo mês, e a quarta no dia 22.

Conforme determinação do governador Paulo Câmara, a partir de avaliação do Comitê Estadual de Enfrentamento ao Coronavírus,  as unidades de ensino permanecerão fechadas até o dia 15 de agosto

 

Sem previsão para retomada das aulas

De acordo com a Secretaria de Educação de Pernambuco informou que essas datas são apenas estudos, e que não há uma definição para o retorno das aulas no Estado. Confira a nota do Governo de Pernambuco na íntegra:

"Desde o dia 1º de junho, o Governo de Pernambuco vem colocando em prática o Plano de Convivência com a Covid-19. A flexibilização das atividades econômicas e sociais com novos protocolos de higiene, distanciamento e comunicação tem sido feita de maneira gradativa e responsável com observação diária dos números da epidemia no estado. A construção de um protocolo de retomada das aulas presenciais na educação não tem sido diferente. As regras a serem observadas já foram divulgadas e o calendário de retorno permanece em aberto. Não existe ainda a definição das datas para início do processo de retomada das aulas presenciais nas escolas. As imagens da apresentação do secretário de educação, Fred Amâncio, para os prefeitos mostram uma das versões de cronograma, sem que isso signifique que essas são as datas definidas. Existem outras versões com datas e cronogramas diferentes, todas ainda em discussão." 

Protocolo

O protocolo do Governo de Pernambuco para o setor de Educação contempla regras como o uso obrigatório de máscara por alunos, professores e funcionários e distanciamento mínimo de 1,5 metro dos estudantes em sala de aula são algumas das regras. Também a suspensão de esportes coletivos e de eventos presenciais.

Confira abaixo as determinações do Governo de Pernambuco para o setor da Educação:

Distanciamento social 

  • Manter pelo menos 1,5 m (um metro e meio) de distância entre os estudantes, trabalhadores em educação e colaboradores em todos os ambientes do estabelecimento de ensino;
  • Estabelecer o número de estudantes por turma, observando rigorosamente as normas de distanciamento 1,5m (um metro e meio) entre as bancas escolares, reduzindo a quantidade de estudantes se necessário;
  • Promover diferentes intervalos de entrada, saída e alimentação entre as turmas, com o objetivo de evitar aglomerações.

Prevenção/proteção

  • Utilizar a máscara de forma obrigatória e contínua por todas as dependências do estabelecimento de ensino, devendo ser observadas as orientações específicas quando se tratar de crianças até dois anos de idade;
  • Disponibilizar, para uso dos estudantes, trabalhadores em educação e colaboradores local para lavagem frequente das mãos, provido de sabão, toalhas de papel além da disponibilização do álcool 70%, em pontos estratégicos de fácil acesso;
  • Higienizar grandes superfícies com os seguintes produtos: hipoclorito de sódio a 0.1%; alvejantes contendo hipoclorito (de sódio, de cálcio) a 0,1%; dicloroisocianurato de sódio (concentração de 1,000 ppm de cloro ativo); iodopovidona (1%); peróxido de hidrogênio 0.5%; ácido peracético 0,5%, quaternários de amônio, por exemplo, o Cloreto de Benzalcônio 0.05%; compostos fenólicos; desinfetantes de uso geral aprovados pela Anvisa, observando as medidas de proteção, em particular o uso de
    equipamentos de proteção individual (EPI) quando do seu manuseio.

Monitoramento e educação

  • Elaborar cartilha de orientação sobre os cuidados básicos de prevenção do novo coronavírus para disponibilizar pela internet para estudantes, trabalhadores em educação e colaboradores;
  • Orientar estudantes, trabalhadores em educação e colaboradores dos estabelecimentos de ensino que apresentarem sintomas gripais, e os seus contatos domiciliares, a acessarem o aplicativo “Atende em Casa” (www.atendeemcasa.pe.gov.br). Durante o acesso, serão orientados sobre como proceder com os cuidados, inclusive sobre a necessidade de procurar um serviço de saúde.
  • Afixar as medidas de prevenção por meio de Materiais visuais nos estabelecimento de ensino.

Suspensão das aulas

As aulas em todo o Estado estão suspensas desde o dia 18 de março devido ao isolamento social como forma de prevenção e propagação do novo Coronavírus. 

Expectativa

A expectativa é grande em relação às datas para reabertura dos estabelecimentos de ensino. A elaboração do protocolo foi coordenada pelo secretário de Educação de Pernambuco, Frederico Amancio. Antes de concluir o documento, ele ouviu diversos representantes da educação pública e particular, como sindicatos de donos de escolas privadas, secretários municipais de Educação, sindicato de faculdades particulares, reitores das universidades públicas, estudantes e sindicato docente.

COMENTÁRIOS

Os comentários abaixo são de responsabilidade dos respectivos perfis do facebook.