COVID-19

Conheça algumas das possíveis sequelas do coronavírus

Pesquisadores no mundo inteiro estudam consequências deixadas nas pessoas infectadas pelo novo coronavírus (covid-19)

Conheça algumas das possíveis sequelas do coronavírus

Um estudo desenvolvido por médicos da Universidade Federal de São Paulo identificou lesões na retina de pacientes curados - Foto: Pixabay

O novo coronavírus (covid-19) segue desafiando cientistas por todo o mundo. Agora, pesquisadores estudam quais são as possíveis sequelas que a doença pode ocasionar nos pacientes.

Um estudo desenvolvido por médicos da Universidade Federal de São Paulo identificou lesões na retina de pacientes já curados da covid-19.

>> Coronavírus pode deixar sequelas, mesmo após a cura

A descoberta foi publicada em uma revista científica reconhecida mundialmente. Os 12 pacientes que participaram da pesquisa tiveram quadros leves da doença e, até o momento, nenhum deles sofreu perda da visão.

Danos irreversíveis

Os médicos investigam mais dois grupos de pessoas curadas da covid-19. O oftalmologista Rubens Belfort Júnior, um dos autores da pesquisa, explica que as lesões na retina, região do olho onde se formam as imagens, podem ser irreversíveis.

"A retina é sistema nervoso central e sistema nervoso central, uma vez destruído, ainda não tem uma maneira de recuperar pela medicina, então, qualquer lesão na retina sempre preocupa", afirmou.

Diversas linhas de pesquisa sobre a doença causada pelo novo coronavírus, em todo o mundo, já revelaram que a covid-19 afeta inúmeros órgãos e pode deixar sequelas.

"Não é só uma doença aguda, que você tem um resfriadinho e, depois de duas semanas, ficou bom. Alguns pacientes talvez venham a desenvolver lesões crônicas. O aconselhamento é que as pessoas façam um acompanhamento médico contínuo. Vai exigir um gasto maior para a saúde pública, pois será necessário um acompanhamento desses pacientes, que foram contaminados pelo coronavírus", explica.

Infertilidade

Uma manchete publicada, recentemente, em um portal online, preocupou médicos e o Ministério da Saúde. O texto atribui a pesquisadores chineses a suposta descoberta de que a covid-19 torna infértil a maior parte dos pacientes homens que tiveram a doença.

Segundo o Ministério da Saúde, a notícia é falsa. No material divulgado pela pasta, o Ministério esclarece que o artigo citado está em fase de pré-publicação e traz apenas dados preliminares sobre a possibilidade de infecção de células do testículo, pelo novo coronavírus.//

O urologista Filipe Tenório, especialista em fertilidade humana, pede cautela, já que os resultados das pesquisas ainda são inconclusivos.

>> ONG distribui 450 refeições para comunidade em Olinda; veja como doar
>> Coronavírus: doação de sangue pode ser agendada respeitando quarentena
>> Hospital de Câncer precisa de ajuda para continuar atendendo pacientes
>> Mulher faz apelo por doação de sangue; veja como e onde doar
>> Menina de 3 anos com leucemia precisa de doação de sangue
>> Paróquia do Santíssimo Sacramento de Santo Antônio realiza campanha de arrecadação de máscaras para moradores de rua

O que é coronavírus?

Coronavírus é uma família de vírus que causam infecções respiratórias. O novo agente do coronavírus foi descoberto em 31/12/19 após casos registrados na China.Os primeiros coronavírus humanos foram isolados pela primeira vez em 1937. No entanto, foi em 1965 que o vírus foi descrito como coronavírus, em decorrência do perfil na microscopia, parecendo uma coroa.

>> Coronavírus: Profissionais de saúde do Recife criam campanha para arrecadação de doações
>> Núcleo de Apoio à Criança com Câncer afirma que doações caíram pela metade por causa do coronavírus
>> Pandemia do coronavírus: Lar do Neném pede doações para se manter
>> Delegacia de Boa Viagem e ONG fazem campanhas para arrecadar doações
>> Coronavírus: HCP e Detran lançam campanhas para arrecadar doações
>> Veja como ajudar e onde procurar ajuda neste cenário de coronavírus 

A maioria das pessoas se infecta com os coronavírus comuns ao longo da vida, sendo as crianças pequenas mais propensas a se infectarem com o tipo mais comum do vírus. Os coronavírus mais comuns que infectam humanos são o alpha coronavírus 229E e NL63 e beta coronavírus OC43, HKU1.

Como prevenir o coronavírus?

O Ministério da Saúde orienta cuidados básicos para reduzir o risco geral de contrair ou transmitir infecções respiratórias agudas, incluindo o coronavírus. Entre as medidas estão:

  • Lavar as mãos frequentemente com água e sabonete por pelo menos 20 segundos, respeitando os 5 momentos de higienização.
  • Se não houver água e sabonete, usar um desinfetante para as mãos à base de álcool.
  • Evitar tocar nos olhos, nariz e boca com as mãos não lavadas.
  • Evitar contato próximo com pessoas doentes.
  • Ficar em casa quando estiver doente.
  • Cobrir boca e nariz ao tossir ou espirrar com um lenço de papel e jogar no lixo.
  • Limpar e desinfetar objetos e superfícies tocados com freqüência.
  • Profissionais de saúde devem utilizar medidas de precaução padrão, de contato e de gotículas (mascára cirúrgica, luvas, avental não estéril e óculos de proteção).
  • Para a realização de procedimentos que gerem aerossolização de secreções respiratórias como intubação, aspiração de vias aéreas ou indução de escarro, deverá ser utilizado precaução por aerossóis, com uso de máscara N95.

Confira o passo a passo de como lavar as mãos de forma adequada: 

COMENTÁRIOS

Os comentários abaixo são de responsabilidade dos respectivos perfis do facebook.