COVID-19

Filas diárias refletem dificuldade para receber auxílio de R$ 600

Tem gente que ainda não recebeu a 1º parcela. A população está tendo muitas dúvidas e problemas para conseguir renda emergencial de R$ 600

Filas diárias refletem dificuldade para receber auxílio de R$ 600

As filas dão volta nos quarteirões das agências - Foto: Wellington Lima/ TV Jornal

As filas continuam gigantes, nas agências da Caixa Econômica Federal. O principal motivo é o auxílio emergencial de R$ 600, pago pelo Governo Federal para ajudar durante a crise gerada pelo novo coronavírus.

Os brasileiros seguem com muitas dúvidas em relação ao cadastro, formas e datas de pagamento.

>> Com 2º parcela adiada, veja quem recebe auxílio de R$ 600 nesta quinta

>> Antecipação de segunda parcela do auxílio de R$ 600 é cancelada

Dificuldades

Na manhã desta quinta-feira (23), a fila dava volta no quarteirão, em uma agência da Caixa Econômica de Casa Amarela, Zona Norte do Recife.

A dona de casa Maria de Fátima deixou o marido guardando o lugar desde a tarde dessa quarta-feira (22). Ela disse que está com dúvidas e que não sabe como consultar, no aplicativo, o dia do pagamento da primeira parcela do auxílio emergencial.

A dona de casa Gerlane Machado contou que já deu três viagens perdidas. Em uma delas, a dona de casa afirmou que foi orientada por uma funcionária da agência a voltar outro dia.

Adiamento da 2º parcela

De acordo com o Ministério da Cidadania, a segunda parcela do auxílio emergencial de R$ 600, que seria paga nesta quinta-feira (23), foi suspensa por tempo indeterminado, por falta de recurso. Agora, o Governo Federal deverá solicitar um crédito suplementar para fazer o pagamento.

Critérios para receber auxílio de R$ 600

Para ter acesso ao auxílio emergencial, a pessoa deve cumprir, ao mesmo tempo, os seguintes requisitos:

  • Maior de idade - ser maior de 18 anos de idade
  • Não ter emprego formal - destinado para trabalhadores autônomos com rendas informais, que não seja agente público, inclusive temporário e nem exercendo mandato eletivo
  • Não ser beneficiário - não receber benefício previdenciário ou assistencial, seguro-desemprego ou de outro programa de transferência de renda federal que não seja o Bolsa Família
  • Renda familiar - renda familiar mensal per capita (por pessoa) de até meio salário mínimo (R$ 522,50) ou renda familiar mensal total (tudo o que a família recebe) de até três salários mínimos (R$ 3.135,00)
  • Rendimentos tributáveis - não ter recebido rendimentos tributáveis, no ano de 2018, acima de R$ 28.559,70
  • Estar desempregado ou exercer as seguintes atividades - exercer atividade na condição de microempreendedor individual (MEI) ou ser contribuinte individual ou facultativo do Regime Geral de Previdência Social (RGPS) ou ser trabalhador informal inscrito no Cadastro Único para Programas Sociais do Governo Federal (CadÚnico)

Mais informações

Confira os canais da Caixa Econômica Federal para mais informações

  • auxilio.caixa.gov.br
  • Central de Atendimento CAIXA – 111
  • Central de Atendimento do Ministério da Cidadania – 121
  • twitter.com/caixa
  • facebook.com/caixa
  • instagram.com/caixa
  • youtube.com/user/canalcaixa

>> Coronavírus: Profissionais de saúde do Recife criam campanha para arrecadação de doações
>> Núcleo de Apoio à Criança com Câncer afirma que doações caíram pela metade por causa do coronavírus
>> Pandemia do coronavírus: Lar do Neném pede doações para se manter
>> COVID-19: veja como baixar o aplicativo e solicitar auxílio de R$ 600
>> Auxílio de R$ 600: Veja calendário e saiba quando irá receber
>> Coronavírus: auxílio-doença pode ser solicitado ao INSS sem perícia
>> Saiba se está inscrito no CadÚnico para receber auxílio de R$ 600
>> PMs doam sangue para melhorar estoques do Hemope; veja como ajudar 
>> Hemope tem estoques baixos por causa do coronavírus e convoca doadores
>> Delegacia de Boa Viagem e ONG fazem campanhas para arrecadar doações
>> Hemope faz esquema para doações de sangue na pandemia do coronavírus
>> Coronavírus: HCP e Detran lançam campanhas para arrecadar doações
>> Veja como ajudar e onde procurar ajuda neste cenário de coronavírus 

O que é coronavírus?

Coronavírus é uma família de vírus que causam infecções respiratórias. O novo agente do coronavírus foi descoberto em 31/12/19 após casos registrados na China.Os primeiros coronavírus humanos foram isolados pela primeira vez em 1937. No entanto, foi em 1965 que o vírus foi descrito como coronavírus, em decorrência do perfil na microscopia, parecendo uma coroa.

A maioria das pessoas se infecta com os coronavírus comuns ao longo da vida, sendo as crianças pequenas mais propensas a se infectarem com o tipo mais comum do vírus. Os coronavírus mais comuns que infectam humanos são o alpha coronavírus 229E e NL63 e beta coronavírus OC43, HKU1.

Como prevenir o coronavírus?

O Ministério da Saúde orienta cuidados básicos para reduzir o risco geral de contrair ou transmitir infecções respiratórias agudas, incluindo o coronavírus. Entre as medidas estão:

  • Lavar as mãos frequentemente com água e sabonete por pelo menos 20 segundos, respeitando os 5 momentos de higienização.
  • Se não houver água e sabonete, usar um desinfetante para as mãos à base de álcool.
  • Evitar tocar nos olhos, nariz e boca com as mãos não lavadas.
  • Evitar contato próximo com pessoas doentes.
  • Ficar em casa quando estiver doente.
  • Cobrir boca e nariz ao tossir ou espirrar com um lenço de papel e jogar no lixo.
  • Limpar e desinfetar objetos e superfícies tocados com freqüência.
  • Profissionais de saúde devem utilizar medidas de precaução padrão, de contato e de gotículas (mascára cirúrgica, luvas, avental não estéril e óculos de proteção).
  • Para a realização de procedimentos que gerem aerossolização de secreções respiratórias como intubação, aspiração de vias aéreas ou indução de escarro, deverá ser utilizado precaução por aerossóis, com uso de máscara N95.

Confira o passo a passo de como lavar as mãos de forma adequada: 

COMENTÁRIOS

Os comentários abaixo são de responsabilidade dos respectivos perfis do facebook.